sábado, janeiro 29, 2011

Anfitriã Eterna

(Após o falecimento de Dona Maria Erdei, no dia 10 de Setembro de 2008, as 16:00 h)




À espreita a morte conosco vaga,
Desceremos junto ao sombrio leito...
Até findar-se a aventura amarga,
Nos infortúnios, e por ela eleito...

Para enfeitar, as flores serão estampa
Que o pranto verte no amor a alguém...
Vestido em terra que agora acampa,
Com uma prece, e findando Amém...

Óh manto escuro do além profundo!
Abrigo taciturno, de tão sublime paz,
De sonhos findos, sem rumo, sem norte...

Invólucro humano despe do mundo!
Eis que agora, e pra sempre jaz,
Em baixar ao leito a soturna morte...

Nenhum comentário: