terça-feira, fevereiro 01, 2011

Ilhado


Sozinho na praia estou a pensar
Escrevo na areia... (Espera em vão?)
Ouvindo distante o barulho do mar
Amada sublime do meu coração...

Sozinho na praia estou a pensar
Quem sabe um dia o amor reviver
Sublime amor, que espero voltar
Amada sublime, do meu bem querer

Ouço o som de gaivotas, o mar e o vento
Uma canção, tristonha lendária
De novo o amor e saudoso momento...

Ondas açoitam imponentes rochedos
Assédio incansável, diário e teimoso
Assim eu estou num teimoso tormento...

Nenhum comentário: