sexta-feira, janeiro 28, 2011

O Refúgio

Como um amante que se refulgia
No aconchego de um grande amor
Na solidão da qual eu me via
Atormentado com muita dor

Fazia frio, e o frio que eu sentia
Era um frio mortal e cortante
Por isso mesmo na alma eu sentia
O teu calor e um sonho restante

Sem tua alma agora não passo
Pois no calor do teu coração
Aqueço do frio e agora refaço
A minha vida e minha paixão

De teus sonhos secretos escrevo
Um texto tornado em pura emoção
Retomo a vida, e finda o segredo
Nesse momento de Inspiração!

3 comentários:

Valquíria Oliveira Calado disse...

,,,eu comungo com teus sentimentos, leia meus escrito de hoje...frio.
abraço.

Marilu disse...

Querido amigo e poeta, muitas vezes precisamos livrar-nos de antigas recordações mesmo que sejam maravilhosas, para que possamos continuar a viver e tentar ir em busca de uma nova felicidade. Amei o poema. Tenha um lindo final de semana. Beijocas

Magia da Inês disse...

Olá, poeta!
Sempre romântico, lírico dando asas aos sonhos...
Bom fim de semana!
Beijinhos.
Minas.
•♥•..•♥•.¸