sábado, janeiro 29, 2011

Petrificado Coração

Ecos sufocados, soturnos da solidão,
Há em teu viver, saudade, melancolia...
Pulsa dentro do peito na força de uma paixão,
E sofre dilacerado com ânsia de agonia...

Triste palpitação na alma sutil ecoa
Lamenta com essa dor, amarga da desventura
Sons que em tu’alma, pranteia e atordoa
Vagando silenciosa perpétua da sepultura...

Ainda tenho por ti, singelo amor imenso,
Tenho por ti um amor, um amor que acredito;
Amor que sobe ao céu suave como um incenso

Dá-me dos teus lírios, teus lírios e o teu fruto
Vem adocicar, minh’alma com o amor latente,
Do amor e dos desejos, por quem tanto eu luto!
 

2 comentários:

São disse...

Ai, meu bem, como entrou fundo em minha alma este seu poema...

Bom fim de semana.

**♥✿-franciete-✿♥** disse...

Cada poema é grito da alma que sofre ainda e muito,
Faz como a canção deixa o vento me levar, beijinhos de luz e muita paz.

PS: tira as letras de correcção, são muito chatas, lol