sábado, março 05, 2011

Alma Peregrina



Quando a fria lapide acampar, 
As preces fervorosas e esta oração; 
Estarão as rosas como a chorar, 
Os sonhos idos, o amor e a paixão... 

Teu ser, compassivo e carinhoso, 
Os anjos harpejam por convulsos dedos! 
Entoam um Salmo, sublime, glorioso, 
Balada melodiosa, poemas e enredos... 

E dentro do leito, lágrimas e memórias, 
De todos os sonhos, pueris, imaculados, 
São melodias, sublimes e merencórias... 

É quando verte do céu, uma música divina! 
-Rosa das Flores, que pelas flores murmura, 
Tua alma por entre elas, passeia e peregrina...


21 comentários:

flor de jasmim disse...

Vozes de Minha Alma
Sublime. Amei por e simplesmente.
Beijo

Maria disse...

Querido amigo poeta os seus poemas são de uma sensibilidade que toca a nossa alma. Obrigado pela partilha.
Tenha um excelente Domingo, pleno de alegria, paz e harmonia.
Beijinhos
MAria

MENTORESDELUZ.BLOGSPOT.COM disse...

simplesmente adorei este poema tão lindo com palavras,de ternura profunda,tristeza guardada,no fundo daalma,se esta é voz da almaesta alma,tem voz sublime de anjos,,,
aproveito esta passagem por seu blog para convidar a c onhecer meu bloguinho novo,
(mimoseselinhos.blogspot.com)
se vier ficarei mais feliz ,bjs marlene

Madame Sucralose disse...

Perfeito !
A imagem está belíssima e o texto transborda sentimentos desta alma peregrina. Amo seu blog.
Bjs

Sonhadora disse...

Meu querido

Quanta ternura escorre das tuas palavras...é uma melodia que enternece a alma e aquece o coração.
É sublime este passeio...senti cada letra.

Beijinho com carinho
Sonhadora

docerachel disse...

Alma peregrina que busca a minha...
Vem que te espero no limiar do tempo.

Hana disse...

Amigo que admiro pela eternidade,estou feliz por poder vir aqui, minha vida esta maravilhosamente corrida aqui no Japão, estudando muito e trabalhando, quase nem sobra tempo para postar em meu blog, só o abro fim de semana, mas sempre que posso visito amigos queridos, e jamais esqueço de ti,minha admiração é eterna viu!! Sua poesia entra na pele, na alma e no coração, saio deste espaço tão feliz, pois sua poesia me deixa mais leve e me cativa sempre!!

Claudio Poeta disse...

Beleza plena e clássica! - Parabéns, meu amigo! - Publiquei sua interação junto com meu texto! - Ficou demais! Dá uma olhada lá!!! - Abração

Claudio Poeta disse...

Tomei a liberdade de publicar também, no recanto! -
http://recantodasletras.uol.com.br/poesias/2831238

Abração

Magia da Inês disse...

Agora...
Muitas alegrias!...
Bom feriado!!!
♫♫.•*¨*•♫♫¸
ღ°ºBeijos♫º
♥º

ONG ALERTA disse...

Muito lindo, beijo Lisette.

Toninhobira disse...

Em plena euforia, vem a inspiração nesta alma peregrina, enchendo de emoções na mais fina sensibilidade.Muito bem amigo,isto é sua arte,sua casa.Bela interação com amigo Claudio.Meu abraço de paz e boa semana.

Zil Mar disse...

Nossa Poeta...que coisa mais linda!!!!

Imagem que casou com o poema e tb a música...tudo perfeito..

Meu carinho e admiração sempre!


Zil

Multiolhares disse...

Acredito que quando despimos a roupa da vida, só aí começamos a viver
bjs

Julliany kotona disse...

Que divino seu blog já to seguindo bjos.boas festas.

TITA disse...

Doce melodia e harmonia plena nets teu poema de alma peregrina...Um abraço.

Marilu disse...

Querido amigo e poeta, lindo demais esse poema. Beijocas

helia disse...

Um Poema muito bonito e cheio de ternura !

O Árabe disse...

Sem palavras, irmão. Às vezes, é assim que me deixas. :) Meu abraço, boa semana.

Van disse...

Chegando de viagem
agrqadeço os desejos de bom feriado e espero o seu descanso,ter sido tão bom quanto o meu.

Com essa beleza e suavidade do seu poema e post tudo se reinicia neste ritmo...suave

beijos!

AFRICA EM POESIA disse...

Neste momento quero expressar aqui a minha solidariedade a todas as Famílias atingidas pelo tsunami de ontém.ONDA DEVASTADORA


Onda devastadora, cheia de beleza
Que rapidamente se transformou...
E destruiu tudo por onde passou...

Correu com loucura pela praia...
Saltou montes e vales...
Tudo levou e tudo varreu...

Onda sem compaixão...
Que entre os seus longos braços...
Tudo levou, pais, mães e filhos...

Sem piedade levou o amor da família...
Levou também o trabalho da terra...
E deixou, apenas a dor...

Dor de quem ficou e de quem tudo perdeu...
E tu onda devastadora...
Soltaste os teu braços...
E calmamente te foste!...

LILI LARANJO