domingo, maio 15, 2011

O Manto



Um manto esconde a doce figura.
Esconde a face dorida, silenciosa
Esconde a vaidade e uma ternura
Esconde uma prece harmoniosa...

Será esta beleza de pura melancolia
Ou de uma alma feliz e agraciada
Fechada em mantos que trancafia
Em noites de uma paz dilacerada?

Mas esse eterno e fatal isolamento
Envolve-te num luar simbolizado
Nas sombras do teu esquecimento...

Jaz sobre ti um céu negro infindável
Envolvendo-te nas densas trevas
Trancafiado, tristonho, impenetrável...




*Imagens google


24 comentários:

OceanoAzul.Sonhos disse...

A burca esconde olhos e sentimentos. Magnifico poema em torno deste sempre questionável manto.
abraço
oa.s

Flor da Vida disse...

Poema profundo e tocante...
Um mesmo poema pode ser interpretado de várias formas diferentes, depende do que sente o leitor durante a leitura...
E seus versos me fizeram lembrar, que a escuridão nem sempre é sinonimo de trevas...
Muitas vezes as trevas são camufladas em falsas cascas de luz...
Com certeza essa face que tu viu em sua inspiração, está escondida, tem trancas e noites dilacerantes, mas sua alma está reluzente... E transcedente... Assim eu vejo...

Na escuridão
é onde eu me enxergo...
Quando nada vejo,
encontro a mim mesma...
E é na suprema solidão
que encontro, e vejo anjos...

A solidão
me dá indescritível prazer...
É no silencio,
que descubro quem sou...
É no túmulo do meu eu,
que me encontro...

Rejeito esse mundo
onde a luz se faz trevas,
Onde os olhos d'alma são cegos...
sou adépta da escuridão
que desnuda,
e ilumina meu coração...

Poeta, aplausos mil pra ti!!!

Tenha uma linda e abençoada semana!
Beijos

Ingrid disse...

a imagem da submissão consentida ou não..
expressão linda em teus versos..
beijos e boa semana..

Marilu disse...

Querido amigo e poeta, a burca esconde a tristeza e o medo que estão estampados nos olhos dessa mulher.É desumano a maneira com que essas mulheres são tratadas, são simples objetos de prazer e procriação para os homens. Tenho certeza que no silêncio desse manto, elas agradecem teu lindo poema. Tenha uma linda semana. Beijocas

Silviah Carvalho disse...

Um texto tão profundo quanto a tristeza que existe no olhar.Parabéns.

Toninhobira disse...

Coisas que nossa mente não concebe, a castração de querer e poder ser.Esconder por medo por submissão imposta a ferrro e terror.Uma bela triste inspiração nesta dor em forma de escuridão de isolamento de alma.Bela sensibilidade amigo.Meu abraço de admiração.

moonlight song disse...

Oi Vozes de Minha Alma.
Por este mundo circulam também muitas mulheres com mantos e véus invisíveis. Sob estes esconde-se a dor, o medo a vergonha, a violência doméstica, violação, alcoolismo do marido, maus tratos psicológicos.
Que o Universo lhes traga força, resolução e Paz.
Bj.

Olinda Melo disse...

Uma bela inspiração essa, meu amigo, de focar um problema que ensombra tantas mulheres. Mulheres que são obrigadas a esconderem-se dos olhos do mundo e que vivem submetidas pela tradição da sua própria cultura.

Abraço e uma boa semana.

Olinda

Arnoldo Pimentel disse...

A solidão, a prisão e a tristeza num olhar. A liberdade deveria ser um direito e uma realidade de todos nós.Parabéns pelo belo poema.

Carla Fernanda disse...

Que rosto terás e que gostos trarás.... quem és tu sobrevivente, nesse mundo demente?
Beijos e boa semana!!
Carla

Celina disse...

Amigo, muita paz. bonito sentimentos em forma de versos, quando lí o romance ' A terra do sol' v[i como estas pobres mulheres vivem, submissas sem vontade propria, humilhadas pelo machismo, e olha que o escritor só falou de uma região. Parabéns poeta. um abraço fraterno Celina

ValeriaC disse...

A burca, pode nos parecer um tanto estranha, limitadora, mas faz parte de uma cultura, das crenças de um povo...belo poema amigo, como sempre meu querido...e como diz a Flor, cada um vai interpretar a seu modo...para alguns castração, submissão, para outros, simplesmente aceitam este jeito de viver...e ainda podem ser felizes de alguma maneira... se fosse comigo...me sentiria triste, escondida de um mundo que me agrada ver e viver na liberdade...
Meu amigo, que sua semana seja maravilhosa...beijos
Valéria

**♥✿-franciete-✿♥** disse...

O rosto escondido por de-traz desse véu, de certo que já não saberia viver sem ele.
Cada Pais tem seus costumes, por muito que nos pareça estranho essa submissão faz parte dessas mulheres, gostei muito da maneira que lhe deu esse véu, um tão lindo poema.
Beijinhos de luz e muita paz meu amigo.

O Árabe disse...

Mantos, irmão... tantos são os mantos em que nos envolvemos, todos os dias. Meu abraço, boa semana. Salam Aleikum!

Vieira Calado disse...

Modos de vida...

Já por cá foi semelhante na Idade Média.

Claro que os nossos são...

mais actuais!

Saudações poéticas.

Smareis disse...

Seu poema é muito profundo escrito com alma e coração saindo como eco de dentro do ser.Gostei muito! Um ótimo começo de semana pra ti. Abraço!

MARILENE disse...

Terrível e verdadeiro, infelizmente. Não cobrem apenas o rosto, mas os sonhos, a dignidade.

Bjs.

TITA disse...

Quantos mantos nos tapam a existência...Em quantos nos deixamos embrulhar e tantas vezes nos escondemos e nos anulamos.Belo poema e sempre actual .Um abraço.

Lena disse...

Olá,
Quanto sofrimento desnecessário. O fundamentalismo é terrorismo da religião.
Mesmo o tema sendo estéril, vc conseguiu trazer à tona a tristeza dessa condição humana com beleza.
Bjkas mil e uma semana abençoada.

Sonhadora disse...

Meu querido

Profundo o teu poema...sem palavras para te comentar, porque é muito complicado, deixo um poema:


São sombras silenciosas...treva escura vagando na madrugada
Escondem as feridas...aprisionam o tempo...lambem as mágoas
Amordaçadas...nada esperam...vazias de tudo...cheias de nada
Escravas da dor...sepultam a solidão...escondem as lágrimas

Será que elas se sentem assim...ou a vida lhes deu a sabedoria e resignação para serem felizes...uma felicidade diferente da que as Ocidentais querem.Não sei...

Beijinho
Sonhadora

valquiria calado disse...

Olá meu amigo, tempão em? pensei que tinha esquecido meu blog. Bem vindo outra vez, sabes que senti tua falta? mas os bons filhos a casa retorna,rs,rs.
Comentando teu post, de certa forma, temos essa capa sim, seria eu mentirosa de dissesse que digo tudo que penso...ofenderia uns, e seria mal interpretada por outros, faz parte dos boa educação usar capas... mas tem pessoas que não suportam a sinceridade, eu naõ suporto capa, a uso por obrigação.
Beijos e abraços com saudades, retorna, ta? Gosto quando me diz que estou certa, mas preciso que me diga quando erro.

blog da Paraguassu disse...

Olá,
Dói-me ver estas figuras humanas escondidas detrás das burcas e mantos. Que expectativa de vida têm estas pessoas que assim se expõem, até para terem condições de continuarem vivas. Ou vivas-mortas?
Amigo, se tiveres um tempinho, busca meu blog para conheceres. Será um prazer imenso recebê-lo lá em meu cantinho. Já o estou seguindo e virei mais vezes aqui.
Beijos, Maria Paraguassu.

Vinicius.C disse...

Bom dia!!

Eu sempre digo que- gosto do mistério de uma mulher.

Pensar no que não se pode ver, é muito melhor que ir a praia.

Mas o mistério imposto a esse eu peço liberte-se!

Abraços- te espero no Alma!

Maria Luisa Adães disse...

Se questiona esse manto eterno que tudo cobre.

Ouvi o teu pensamento
apanhei-o nas asas do vento
e soube dos limites do tempo.

Ouvi o canto de várias vozes
ouvi os ecos do silêncio a dizer :
Eu estou aqui!...e esse véu que cobre essa mulher não nos deixa
ouvir, nem sentir.

Que triste eu fico
ao ler a verdade desses versos sensíveis que contam, esses destinos.
Lindo, meu amigo...

Com ternura,

Maria Luísa