quinta-feira, novembro 05, 2015

Balada de um Pedreiro Nordestino

O nome é fictício, mas o acidente ocorreu, e poderão ocorrer em alguma construção, principalmente aquelas que não são devidamente fiscalizadas.
Muitos vêm de várias regiões do país em busca de uma oportunidade, mas principalmente do nordeste. Como são em parte desprovidos de uma melhor qualificação profissional, encontram nas construtoras, uma oportunidade para aprenderem um ofício, para mais tarde retornar ao seu local de origem, ou viver na metrópole.
Quando chegam, eles vão trabalhar na construção de casas, edifícios, ou grandes obras. Muitas vezes sem equipamentos de proteção, sem amparo legal, e trabalhando em condições de alto risco, isso quando não são contratados pelos “gatos”, (os atravessadores), por um salário irrisório...
Para descarregar suas desilusões, alguns buscam no álcool e nos forrós, uma fuga.
Trabalhei num canteiro de um terminal rodoviário, e pude presenciar ali, pessoas com baixa formação escolar, homens carentes de uma assistência médica descente, e vivendo em alojamentos imundos. Raimundo era um deles, e há quinze dias viera do estado do Ceará. Caiu de uma altura de seis metros em cima de uma armação de ferro. Não usava capacete, luvas, ou cinto de segurança... Quero também a eles, dedicar esses versos:




Veio do norte, Raimundo Francisco,
Na obra servir como um reles peão...
O rosto era pálido, e a fria marmita,
Guardou no armário de um barracão...

Pegou o martelo e o alicate de corte,
E de alma contrita, fez uma oração.
O jovem pedreiro pensando no norte,
Dobrou um arame e furou sua mão!

Meio-dia Raimundo parou p'ra comer,
Lembrou-se dos pais e de outro irmão.
Bebeu uma dose p'ra vida esquecer,
Pegou a marmita e sentou-se no chão...

A pobre marmita era apenas a sobra,
Dum ovo cozido com arroz e feijão...
Raimundo sozinho voltou para obra,
Chorando baixinho em seu coração...

Pensou na esposa que um filho gerava,
Num pobre barraco em um pontilhão...
Raimundo no alto caiu de onde estava,
Perdeu seu martelo e junto a atenção!

O pobre Raimundo, a morte embalava,
Seu corpo estirado, jazia ao léo!
Enquanto a esposa com o filho sonhava,
A obra levava Raimundo ao céu...



38 comentários:

piedadevieira disse...

Que triste história!Quão louvável é cantar versos para essa alma, trabalhadora e corajosa dos sertões nordestinos!
Bravos, amigo, mais uma vez!
Beijos

piedadevieira disse...

Que triste história!Quão louvável é cantar versos para essa alma, trabalhadora e corajosa dos sertões nordestinos!
Bravo, amigo, mais uma vez!
Beijos

Angel Martins disse...

Seguindo vc tbm. Obrigada pela visita e pelo carinho. Beijo grande.

http://angelmartinss.blogspot.com/

Flor de Jasmim disse...

Vozes de Minha Alma
Triste, mas infelizmente real, o que acontece todos os dias por este mundo,conheçi alguns Ucranianos que vieram para portugal em busca de melhor vida, mas acabaram por ficarem nos cemitérios cá porque nem dinheiro conseguiram para irem para o seu País Natal.
Bem-haja por este poema
Beijo

MARILENE disse...

Uma realidade. Ainda permanecem essas tristes constatações.

Bjs.

Toninhobira disse...

Voce amigo tem a sensibilidade aguçada e assim bem capta estas dores,estas mazelas de nossa sociedade. E são tantos que se arvoram pela vida,na busca de dias melhores e vivem no submundo, onde tudo é negado.Perdem a dignidade muitas vezes. E se misturam ao cimento e fumaça da cidade grande,que os engole como uma cobra ao sapo.
Parabens amigo por esta sensibilidae sobre este cotidiano.
Meu abraço de admiração.

Arnoldo Pimentel disse...

Uma realidade contada num poema emocionante.Parabéns.

- cleber eldridge disse...

Triste e realista - simples assim.

Flor de Lótus disse...

Oi,meu caro amigo Poeta!Sabe o que mais me revolta é saber que essas coisas não vão mudar tão cedo, o nosso governo não tá nem ai pra essas pessoas.Os políticos só querem saber de roubar e enriquecer facilemtente...
Beijossss

Zil Mar disse...

Poeta...não contive as lágrimas...

me fez lembrar uma parte de uma canção "0 espaço é curto
quase um curral
na mochila amassada
uma quentinha abafada"O Rappa


meu carinho e admiração!

Zil

ONG ALERTA disse...

Bem lembrada a história da luta do ser humano, beijo Lisette.

Maria Alice Cerqueira disse...

Boa Noite prezado amigo.
Doi o coração ao ver e sentir tão reais e verdadeiros acontecimentos na vida de nossa humanidade. Gostaria de falar e escutar apenas falar de felicidade, mas devido ao só querer mais poder, e não querer cuidar do nosso irmão, infelizmente vou, vamos ouvir ainda muito mais falar de dor, em vez de amor!
Obrigado amigo, por seu apoio á minha poesia.
Tudo do melhor para voce.
abraço fraterno
Maria Alice

Evanir disse...

Com enorme carinho
agradeço de coração por compartilhar
momentos tão agradaveis e tão importantes para mim.
Certamente vera essa mensagem em outros blogs
mais isso é tudo que posso fazer hoje.
E jamais vou deixar de agradecer a bondade
de estar sempre no meu blog acariciando meu corção.
Agradeço e reconheço que Deus nunca nos deixa sozinho.
Um beijo no coração,Evanir.

Pablo & Florbela disse...

NÃO SE ESQUEÇA DE SER FELIZ"
Feliz...Feliz... Arriscar à Fazer, para Viver Feliz !!!!

Pablo Neruda

Beijos e o meu carinho......M@ria

M@ria disse...

Muita coisa que ontem parecia importante

ou significativa, amanhã virará pó no filtro

da memória. Mas o sorriso (...) ah, esse

resistirá a todas as ciladas do tempo.


(Caio F. Abreu)

Feliz dia e beijos meus! M@ria

Olinda Melo disse...

Meu amigo

Por cá também se notam situações destas principalmente em relação a imigrantes, nomeadamente, africanos e da Europa da Leste.Quanto a estes muitos têm habilitação superior mas por necessidade aceitam qualquer trabalho. Uns e outros, muitos deles, vivem em contentores ou com familiares e amigos também eles a lutar com dificuldades.Também a falta de formação na área é notória assim como a negligência no uso de equipamentos de protecção.

Gostei muito desta sua homenagem a estes trabalhadores que lutam para terem uma vida melhor mas que nem sempre têm sorte.

Grande abraço.

Olinda

ValeriaC disse...

Meu querido, seus versos são tristes, doridos, mas nos mostram a triste realidade de tantos por este mundo a fora, vivendo a dureza da vida...
Meu amigo, que seu final de semana seja maravilhoso, que a serenidade esteja contigo...beijinhos
Valéria

Sonhadora disse...

Meu querido

Uma triste realidade, não só aí como em Portugal e por todo o mundo, infelizmente.
Como sempre a sensibilidade da tua alma em cada palavra.

Deixo um beijinho com carinho
Sonhadora

LUCONI disse...

Saudades poeta, saudades, seus belos versos nos conta uma realidade da vida de tantos, uns morrem, dão suas vidas, outros as arrastam sem esperanças, vivem por viver nem mais
sonhos eles cultivam, quantos não existe meu amigo, quantos? beijos Luconi

Amor feito Poesia disse...

"Quando fala o amor, a voz de todos os deuses deixa o céu embriagado de harmonia."

Willian Shakespeare


BOM FDS...Beijos & Flores! M@ria

Amor Limão disse...

É realmente mt triste que ainda aja tanto descaso na construção civil :/
Te seguindo, pode me ajudar? Muita luz!
:*

LUCONI disse...

Meu amigo conseguiste me emocionar, lindo demais o poema, espero que não aches ruim, mas eu o publiquei lá naquela mesma postagem, dei o crédito e o link de teu blog, estou pensando em abrir um blog com os meus textos não psicografados,você me deu a ideia há muito tempo, aliás como esse tempo voa, beijos e mais uma vez obrigado, Luconi

Maria disse...

Amigo Poeta, a sua sensibilidade e grandeza de alma, tão bem espelhada nestes lindissimos versos, que retratam uma dura e triste realidade.
Bom fim de semana.
Beijinhos
Maria

Celina disse...

Querido Poeta venho agradecer avisita eo gentil comentário, como nordestina que sou, com muito orgulho venho agrdecer a poesia tão verdadeira e sentida do nosso sofrido povo, principalmente,os sertansjos, parabens, hoje querido amigo o quadro se reverteu tem trabalho para todos por aqí, e o salario melhorou e com todos os direitos trabalhista, não sei se vc ja leu que está faltando trabalhadores em S. Paulo. Deus tarda mais não falta. Um abraço fraterno meu irmão querido, Celina.

Chiquinha Menduina disse...

Caro Antonio, chorei emocionada, os nordestinos muitos, são dasafortunados, eu que sou de lá conheço esta história triste... obrigada por lembra deles... beijos

CÉU disse...

Olá, querido amigo, António!

Um texto de 2011, e que este mês você reescreveu, e que, infelizmente continua atual. Li comentários de amigas, poucas, felizmente, que têm seus blogues parados há uns tempos.
A construção civil é dos setores que mais homens emprega em quase todos os países, mas em todos eles estas coisas sucedem, uma e outra vez. Em Portugal continua havendo um caso ou outro, mas as autoridades competentes têm apertado a vigilância, mas sempre há uma "carta fora do baralho".

Seu poema exprime, na perfeição, a história, a vida e o desfecho deste pobre homem, que deixa mulher e um filho, k não chegou a conhecer o pai.

O vídeo é fantástico, já conhecia e se adapta mto bem ao tema escolhido.

Bom final de semana.

Beijos.

LUCONI MARCIA MARIA disse...

Nossa Antonio quanta tristeza carregam estas vidas que nada têm além de sonhos, com os anos carregam a desilusão e já não mais sonham, retornando depois da partida de meu irmão, não adianta tantas percas e eu não calejo cada vez dói mais bjos Luconi

CÉU disse...

OBRIGADA, MEU QUERIDO POETA E AMIGO, ANTÓNIO!

As palavras são nossas e desde há muito tempo. Não as guarde no peito. "Tá"?

Um beijo e abraço carinhoso.

Maria Rodrigues disse...

Meu amigo hoje passo especialmente para desejar um Feliz Natal e um Novo Ano recheado de alegrias, saúde, amor, paz e harmonia tudo embrulhadito em felicidade sem fim.
Um grande abraço
Maria

CÉU disse...

Olá, querido amigo António!

Passando para lhe desejar um Santo Natal e um Ano Novo Misericordioso.

Beijos para você e família.

Olinda Melo disse...


Olá, Caro Antônio

Admiro o seu espírito solidário atento ao sofrimento do próximo, demonstrado no caso relatado e nas palavras desse belo poema. Que o Ano Novo traga todos motivos de Alegria.

Grande abraço.

Olinda

CÉU disse...

António, meu estimado amigo!

Agradeço a sua visita pelo meu espaço, embora de forma silenciosa.
Você leu o que eu escrevi e é isso que me importa. Sei que gostou, tal como eu amei sua "chegada" cá.

Dias felizes! Espero que esteja bem.

Um beijo de ♥

António Jesus Batalha disse...

Estou a tentar visitar todos os seguidores do Peregrino E Servo, e verifiquei que eu estava a seguir sem foto, por motivo de uma acção do google, tive de voltar a seguir, com outra foto. Aproveito para deixar um fraterno abraço.
António Jesus Batalha.

CÉU disse...

obrigada, meu querido e velho amigo...

FELIZ DIA DA MÃE..., ANTÓNIO!

Um beijo saudoso.

Maria Rodrigues disse...

Meu amigo, passei para deixar um abraço
Maria

MEU DOCE AMOR disse...

Olá:

Tenho andado a ver dos amigos e vim até aqui.Esperamos que regresse.

Beijinho doce

CÉU disse...

António, meu querido Amigo!

Espero k você e sua família se encontrem bem.

VOS DESEJO UM NATAL DE AMOR E UM ANO NOVO DIFERENTE, PARA MELHOR, CLARO!

Beijos e um carinhoso abraço.

Maria Rodrigues disse...

Meu amigo hoje venho especialmente para lhe desejar um Natal muito Feliz e um Ano Novo pleno de sonhos realizados, alegrias constantes, excelente saúde, e incontáveis momentos felizes.
Beijinhos
Maria