sexta-feira, julho 22, 2011

A uma Flor Morta


Ó que dor em minh’alma, quanta ternura...
Carrego neste amor, lutuoso, desconsolado
Diante de tua face, mórbida d’amargura
Carrego uma tristeza, soturno, dilacerado

Deitarão a noite seus véus de melancolia
E aconchegar-te-á nos ornatos da sepultura
Serão vagos momentos, que a noite acaricia
Teu corpo amortalhado e rosas da desventura

Vão nestes prantos, sentimentos, puros, eleitos
Que hão de te ungir com essências de uma flor
Junto com anjos, sublimes, augustos, perfeitos!

Por entre os enlevos que as rosas hão de deixar
Evolvem-me lembranças singelas de tanta dor
Num rosto adormecido de um anjo a descansar.


24 comentários:

OceanoAzul.Sonhos disse...

Poema sentido e sofrido delicadamente embelezado por suas palavras.

Um abraço
oa.s

Ange disse...

Bom dia Antônio!
Que beleza o poetar e simetria dos seus textos!
Realmente um texto sofrido, mas de uma beleza que nos leva ver além desta melancolia aqui retratada.
Assim também de uma beleza impar encontrei o texto o qual ilustra a página da nosssa amiga Flor neste momento triste.
Realmente tenho entrado aqui poucas vises , mas o suficiente para reconhecer seu belo talento tanto no poetar como na sua invejável escrita!
Normalmente (quase) só visito-os amigos nos fins de semana quando as obrigações diárias não demanda o meu tempo! Então olha eu passeando por aqui!
Um lindo fim de semana para você!
Ange.

Flor da Vida disse...

Amigo, Deus seja contigo.

Não tenho palavras diante da emoção que sinto ao ler teus versos, simplesmente agradeço...
Obrigada por tudo!

Paz

Beijos

Pelos caminhos da vida. disse...

Sem palavras...

Obrigado pela sua companhia, seu carinho amigo.

Bom fim de semana pra vc.

beijooo.

Flor de Jasmim disse...

Vozes de Minha Alma
Muito sofrido com uma beleza muito própria.
Beijo bom fim de semana

Anônimo disse...

Vejo a longa produción de poesía ben escrita, con todo sentimento posto e dominio da forma. Tómome o atravemento de facer esta inmersión no seu blog, a partires da visita ao blog doutro poeta, Aluisio que tamén me deixa comentarios.
Siga así!
www.leriasdebea.blogspot.com

Anônimo disse...

Vejo a longa produción de poesía ben escrita, con todo sentimento posto e dominio da forma. Tómome o atravemento de facer esta inmersión no seu blog, a partires da visita ao blog doutro poeta, Aluisio que tamén me deixa comentarios.
Siga así!
www.leriasdebea.blogspot.com

ativista disse...

Lindo Poema.
Da hora teu blog
parabéns.
Seguindo certo,me segue ai tbm.
http://www.hiphopface.org/
abçs
@Ativista2

Evanir disse...

A esperança e a alegria de viver esta
nos atos de amor que praticamos.
Quero viajar todos os dias semeando
a paz no coração dos amigos (as)ser
apreciada por minha presença.
Quero jogar flores por onde
eu passar.
E em silêncio deixar a palavra
mais bonita.
(Creia em Deus porque viver é fantástico.)
Um beijo na alma e no coração com carinho,,Evanir,

Ingrid disse...

palavras de dor e sentimento..
emocionar..
beijo

Toninhobira disse...

Doloroso soneto da perda,do vazio que fica.Mas por ironia da arte aqui ficou lindo com toda sua sabedoria e poetica.
Um abração amigo.

。♥ Smareis ♥。 disse...

Que lindo poema, tem muito sentimentos profundo. Gostei muito! Deixo um beijo e ótimo fim de semana.Smareis

Lis disse...

Momentos tristes num belo poema.
Anjos transformados em estrelas. É nosso destino.
bom domingo Antonio

TITA disse...

António,só quem experimenta a dor da perda pode entender a beleza do teu poema.A rosa virou bálsamo...Muto bonito,mesmo.Um abraço.

Arnoldo Pimentel disse...

Muito bonito e sentido seu poema, parabéns poeta.

Pelos caminhos da vida. disse...

Obrigada pelo seu carinho amigo, és recíproco.

Domingo de luz.

beijooo.

Angel Martins disse...

Uma ótima semana pra você! bjusss

http://angelmartinss.blogspot.com/

ValeriaC disse...

Meu querido, belos seus versos, traduz os sentimentos que envolvem tanta emoção...é de se ficar sem palavras...só a sentir...
Beijos...bom domingo...
Valéria

Olinda Melo disse...

Meu amigo

Poema onde se vê uma imensa tristeza, pois perante a morte sentimo-nos desvalidos.A única saída para esta dor é visualizarmos o ente querido entre Anjos, de que fará parte, e uma Vida a transcorrer no meio da Bem-Aventurança.

Abraços.

Olinda

Evanir disse...

Querida Amiga..
Um feliz final de Domingo uma semana abençoada
repleta de realizações.
Um beijo carinhoso,Evanir.

Flor de Lótus disse...

Tão estranha a sensação que dá ver alguém morto eu fico pensando as vezes lutamos tanto, sonhamos tanto, brigamos por coisas inutéis para no fim acabarmos ali dentro de um caixão.Claro que a alma é imortal,mas o corpo morre ali e percebe-se que muita coisa foi em vão...
Uma ótima semana!
Beijossss

O Árabe disse...

Triste poema, meu irmão... e, entretanto, traz toda a beleza da poesia! Meu abraço, boa semana.

Pedro Menuchelli disse...

Grande poema Antonio, como sempre.
A beleza de suas palavras sempre me deixa boquiaberto, pois você consegue transparecer seus sentimentos através das palavras de uma maneira maravilhosa. Afinal, o que vem a ser a morte para as pessoas? Particularmente, eu sempre tive contato com a parte religiosa do assunto que nada mais é do que aquela em que acredita-se que logo após a morte haverá um grande julgamento, onde Deus decidirá o rumo das pessoas de acordo com suas ações aqui na Terra.
Só que infelizmente, hoje em dia, já não sei se posso me identificar com tal teoria. As vezes, paro para pensar em diversos momentos, diversas coisas e vejo que temos pessoas que mesmo vivas, estão mortas. Estão mortas de espírito, psicologicamente e emocionalmente pois se conformam com a situação que estão. É como um carro estacionado, aonde você pode fazer de tudo, mas se não soltar o freio de mão, ele não sai do lugar. É como se fosse essas pessoas. Na maioria das vezes, elas tem conhecimento, porém as atitudes não correspondem a tudo aquilo que ela quer pra si e para as outras pessoas que estão ao seu redor.
É como se a cada dia morresse um pedaço da pessoa, como se ela deixasse que o medo e outras coisas que não fazem bem, tomasse conta dela.

Eu admiro muito a forma que você escreve e descreve o que sente. Me sinto muito feliz por saber que tenho seguidores que sempre me ajudam e me deixam feliz com suas palavras que servem como auxílio em momentos em que nem eu mesmo acredito mais em mim. Grande texto Antônio. Um grande abraço, de uma pessoa que está sempre ao seu lado, mesmo que longe,

Pedro

M@ria disse...

Há duas formas para viver a sua vida:
Uma é acreditar que não existe milagre.
A outra é acreditar que todas as coisas são um milagre.

(Albert Einstein)

Beijos e Bom Fds......M@ria