segunda-feira, agosto 29, 2011

Apocalipse


Quem somos nós, neste tenebroso mar
A soluçar e a chorar, pela vida e por amor?
Centelhas, miríades de almas a fervilhar
Nutrindo com mais vidas nosso eu interior...

Almas tranqüilas, tumultuosas e várias
No murmurar uníssono de ecos perdidos
Vertendo lágrimas ansiosas hereditárias
Fazendo da terra, sepulcro de tantos gemidos!

O que faz essas almas, marcadas pelas ânsias
Cantar esta vida, na velhice, ou nas infâncias
Nas letras de um poema, nas trevas de um eclipse?

Porventura essas almas todas, e todas as almas eleitas
Hão de fecundar noutras plagas, sublimes perfeitas
Com vestes ensangüentadas, das páginas do Apocalipse?


*Imagem: Gustave Dore - Rosa Branca

15 comentários:

folha seca disse...

Profundo! Meu caro
A poesia a chamar-nos para a verdade, nua e crua.
Abraço
Rodrigo

Flor de Lótus disse...

Olá meu caro poeta!Poesia profunda e triste as perguntas são tantas e encontrar respostas para elas não é nada fácil.
Beijos e uma ótima semana!

ValériaC disse...

Grande questionamento em seus versos meu amigo...quem somos nós? Que tipo de alma somos com nosso constante modo de ser e agir? O que cultivamos em nós? Pois é isso que gera quem somos e que rumos teremos aqui e depois...
Boa semana meu querido...beijos...
Valéria

Flor de Jasmim disse...

Vozes de Minha Alma
Profundo e triste teu poema, a imagem o poema se conjugam.
Beijo boa semana

Ange disse...

Antônio, eu diria que realmente só a voz da alma se enche de tanta sensibilidade para ao mund expressar a mesma em tão belas poesias! Realmente cada vez que entro aqui sou embalada por esta voz. Meus sinceros aplausos!
Linda noite!
Ange.

Toninhobira disse...

Beleza de mergulho amigo que a alma fica em questionamentos.A vida toda feita de Ânima.Belo trabalho com sua arte de bela.
Meu abraço com admiração.
Parabens sempre.

Evanir disse...

Que a nossa amizade seja sempre verdadeira até o fim.
Quero que saiba tenho prazer em conviver com você
essa amizade linda.
Eu sei que verdadeiros amigos são fieis e nos protegem,
quando estamos sofrendo.
Mesmo sofrendo,continuo semeando
sempre boas sementes.
Quero ser uma primavera eterna no seu coração.
Deus tem benção para você.
Bjs no coração.
Evanir

Artes e escritas disse...

O apocalipse é um enigma, não sabemos ao certo o que significa, gostei de te visitar. Um abraço, Yayá.

Mery disse...

Um pouco triste, mas muito bonito, com certeza...profundo,sim, mas traz uma realidade que nos faz refletir.
Abraços do Brasil, Mery.

Zil Mar disse...

um poema apocaliptico....

Profeta...e Poeta?


grande beijo Antônio Lídio....


Zil

**♥✿-franciete-✿♥** disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
**♥✿-franciete-✿♥** disse...

Ai meu querido amigo este poema me fez doer o meu coraçãozinho já tão fragilizado,agora daqui em diante tenho de aproveitar cada décimo de segundo, pois não sei quando andarei por ali também junto daqueles agonizantes, só mesmo você para ter toda esta imaginação tão fértil, agradeço de todo coração o lindo poema que me enviou assim como tantos que por cá já tenho.
Beijinhos de luz , paz, e, muito amor nos seus dias...

Sonhadora disse...

Meu querido

Este poema tem a profundidade da tua alma...o sentir do teu coração.
Como sempre deixas os dedos falar com o teu sentir.

Beijinho com carinho
Rosa

TITA disse...

Creio que um dia veremos face a face quem somos de verdade.Por agora,cada dia é uma busca permanente de nós próprios.Muito bonito o teu poema.Um abraço.

LUCONI disse...

Só uma alma iluminada como a tua para fazer um poema desta envergadura, verdade meu amigo, são tantos os porquês sobre o futuro desta humanidade, mas não me perco muito neles, apenas confio, porque para quem confia o amanhã é uma certeza, o amor do Pai sempre fará o melhor para seus filhos, beijos Luconi
Obrigada pelo carinho em meu blog, se me demorar é aquele problema de saúde que já te falei, beijos |Luconi