sexta-feira, agosto 26, 2011

Augusto Poeta dos Anjos



As visões se sucedem no absconso da alma.
Carne despedaçada, sangue, feto sem vida,
Danadamente emerge na essência exausta,
No cerne doloroso, de uma pútrida ferida!

No cerne da minha dor, e minha fatalidade,
Minh’alma esvaiu-se numa visão alucinada.
Num sopro derradeiro tamanha debilidade,
Uniu-se ao pó da terra, e nela predestinada.

Tão logo o pranto, dos vencidos ao rosto cai,
Um gosto amargo, uma dor que não se esvai,
De plásmica substância que da alma insinua.

Foram-se os poemas da refinada eloquência,
Os mistérios e taumatúrgica transcendência,
Mas tornam da cova, para vida e à terra nua!


Augusto de Carvalho Rodrigues dos Anjos nasceu em Engenho Pau d'Arco, Paraíba, em 20 de abril de 1884  e faleceu em Leopoldina no dia 12 de novembro de 1914.
Foi um poeta brasileiro, identificado muitas vezes como simbolista ou parnasiano. Todavia, muitos críticos, como o poeta Ferreira Gullar, preferem identificá-lo como pré-modernista, pois encontramos características nitidamente expressionistas em seus poemas.
É conhecido como um dos poetas mais críticos do seu tempo, e até hoje sua obra é admirada tanto por leigos como por críticos literários.
Cético em relação às possibilidades do amor ("Não sou capaz de amar mulher alguma, / Nem há mulher talvez capaz de amar-me"), Augusto dos Anjos fez da obsessão com o próprio "eu" o centro do seu pensamento. Não raro, o amor se converte em ódio, as coisas despertam nojo e tudo é egoísmo e angústia em seu livro patético ("Ai! Um urubu pousou na minha sorte"). A vida e suas facetas, para o poeta que aspira à morte e à anulação de sua pessoa, reduzem-se a combinações de elementos químicos, forças obscuras, fatalidades de leis físicas e biológicas, decomposições de moléculas. Tal materialismo, longe de aplacar sua angústia, sedimentou-lhe o amargo pessimismo ("Tome, doutor, essa tesoura e corte / Minha singularíssima pessoa"). Ao asco de volúpia e à inapetência para o prazer contrapõe-se porém um veemente desejo de conhecer outros mundos, outras plagas, onde a força dos instintos não cerceie os vôos da alma ("Quero, arrancado das prisões carnais, / Viver na luz dos astros imortais").

18 comentários:

Pedro Menuchelli disse...

Antonio,
Em primeiro lugar gostaria de destacar que acho maravilhosa esa ideia de mostrar a importância de um grande poeta como Augusto dos Anjos.
A parte que mais me deixa feliz quanto a isso tudo é que é possível perceber uma certa preocupação quanto aos poetas e autores da época em deixar a nossa atual sociedade em um patamar elevado da literatura. Pena que hoje em dia, há muita diversificação sobre o verdadeiro uso da língua. A gramática muda a cada dia, porém as pessoas não conseguem falar e escrever direito. Talvez seja por um governo hipócrita que insiste em desviar todo o dinheiro que seria "investido" na educação, ou então, talvez seja por um povo mais ignorante ainda que tem os benefícios, porém usa de maneira incorreta, pois não há fiscalização. Contudo, poderia ficar escrevendo uma porção de coisas aqui que elevaria ambos os lados a um lado totalmente negativo, mas não vou fazer isso, pois aqui encontro uma poesia muito linda e o mais importante, com conteudo. Me sinto lisonjeado por poder desfrutar isso com você.

Queria te desejar um ótimo final de semana e te deixar um grande abraço. Com muito carinho,
Pedro

Ivone Poemas disse...

Lindo pema, linda homenagem postando aqui para nos dar o prazer de ler,adoro poemas e poesias e saber que como brasileiro esse maravilhoso poeta nos deixou lindo legado! Adoro ler Ferreira Gullar, que também escreve lindamente, de forma simples e fácil de assimilar!!!
Abraços!
Ivone

Meus blogs: "poemas sem peias" e "levitar em brancas nuvens"
henristo.blogspot.com

Celina disse...

Linda homenagem ao nosso poeta paraibano, ele foi genial, eu so não gostava quando um namorado fã do poeta declamava a poesia que diz 'A mão que afaga é mesma que apedreja...rsrs. Um abraço Lidio, até a volta. Celina

Celina disse...

Linda homenagem ao nosso poeta paraibano, ele foi genial, eu so não gostava quando um namorado fã do poeta declamava a poesia que diz 'A mão que afaga é mesma que apedreja...rsrs. Um abraço Lidio, até a volta. Celina

Flor de Jasmim disse...

Vozes de Minha Alma
Que posso eu te dizer meu amigo?
Apludo de pé, esta tua belissima homenagem.
Beijo

MARILENE disse...

Um estilo rico, para leigos como eu. Acredito que esse seu exacerbado senso crítico tenha motivado tanto cuidado por ele dispensado à escrita.

Bjs.

Sonhadora disse...

Meu querido

Uma bela homenagem, num lindo poema.

Deixo um beijinho
Sonhadora

Pablo & Florbela disse...

"Amigo é assim...
Um verso, uma canção...
Um riso, um abraço.
Um ombro.
Uma irmão de Coração."

Sirlei L. Passolongo

BOM FDS E BEIJOS MEUS! M@ria

Magia da Inês disse...

♥♫♪
°º✿
º° ✿✿♥ Olá, amigo!
Não gosto do lado pessimista do poeta Augusto dos Anjos...
Os versos são autênticas aulas de grámatica.
Bom fim de semana!
Beijinhos.
Brasil
♥♫♪
°º✿
°º✿✿♪♫° ·.

**♥✿-franciete-✿♥** disse...

Meu querido amigo , mais uma vez a fazer homenagem pois isto faz parte do seu eu interior, da sua bondade como ser humano.
É verdade que é no dar que recebemos e é na entrega que somos felizes, como tributo está um lindo poema, tenha um lindo fim de semana bem proveitoso.
Deixo os meus beijinhos de luz e paz em seu coração...

Evanir disse...

Me faltam palavras ,pra agradecer sua atenção
comigo.
Ser sua amiga é um presente de Deus na minha vida.
Agradeço a cada uma de suas visitas todas
elas me deixaram muito feliz.
Que seja abençoada por Deus nossa amizade para sempre.
Desejo um feliz final de semana beijos com infinita ternura e paz..
Evanir..

Flor da Vida disse...

Tributo que com certeza honra e enaltece a memória desse poeta inesquecível!
Poeta, todas as tuas inspirações são divinais!
Aplaudo-te sempre!!!

Carinhos de flor pra ti, viu?

Beijos

cidinha disse...

Olá, amigo Antonio. Passando por aqui. para lhe desejar um lindo domingo. Peço desculpas pela demora da visita, pois tive problemas com alguns blog para postar. Olha! muito bom conhecer um pouco mais de Augusto dos Anjos. Belo poema! Os seus escritos são maravilhosos. Voltarei a passar por aqui! Grande abraço!

Olinda Melo disse...

Meu amigo poeta

Muito obrigada por trazer ao nosso conhecimento este poeta. Não conhecia Augusto dos Anjos, por isso esta homenagem é de grande valia, permitindo-nos tomar contacto com mais um grande cultor da língua portuguesa. Irei à procura de trabalhos seus.

Um grande abraço e um Bom Domingo.

Olinda

Maria disse...

Amigo poeta como sempre uma homenagem maravilhosa, plena de sensibilidade e escrita com alma e coração.
Quero agradecer a homenagem a Mário de Sá Carneiro que deixou no meu humilde cantinho. Será publicada, com os devidos créditos e se não vir inconveniente, no dia 31 de agosto.
Bom domingo
Beijinhos
Maria

ValeriaC disse...

Belo tributo meu amigo... a este Poeta Brasileiro tão intenso e de sentimentos tão profundos.
Tenha um bom finalzinho de domingo meu querido...beijos
Valéria

O Árabe disse...

Por paradoxal que pareça, um dos meus poetas preferidos. :) Junto-me, portanto, à tua homenagem, irmão! Meu abraço, boa semana.

Toninhobira disse...

Com a intensidade de Augusto e criatividade tão sua,beleza de tributo.
Aplausos amigo,cada vez mais fundo e perfeito poeta.
Abração e bela semana na paz e com saude.