terça-feira, novembro 29, 2011

Muros

O muro de Berlim criou divisões,
Dividiu amores, destruiu liberdade...
Separou corpos, separou corações,
Dos sonhos, de alguém com saudade...

Vejo perseguições, vejo prantos e dores,
Que o muro da fronteira, separatista, vigiado;
Com câmeras, barreiras, alarmes, atiradores,
Faz gente fugir, com imigrante espancado...

No muro da fronteira, de grande extensão,
Há um faminto, perseguido, e ultrajado;
Noutro muro, há rezas e lamentação...

Hoje nesta muralha virtual, pacifista,
Que aqui nos separa, mas nos conecta;
Há um amor natural que na alma habita...

http://osestadosdealma.blogspot.com/2010/06/dos-amigos-dos-paises.html#comments
http://meublogjoaninha.blogspot.com/
MURO DE BERLIM: 20 ANOS DA QUEDA

- Você ainda não está autorizada a viajar.
- E por qual razão?
- A razão desconheço.
- Não tenho nenhuma causa legal pendente, não estou sendo processada perante um tribunal.
- No momento, você não pode viajar.”
- Você sabe que esta é uma violação de meus direitos constitucionais. É como o direito à educação e à comida: o direito de poder se mover.
- No momento, você não pode viajar.
- Esta instituição que você representa, um dia acabará. Meus netos não viverão nessas condições. Este país é um grande cárcere, com uma fronteira ideológica, uma fronteira partidária. Os cidadãos aqui são julgados por cores políticas. Mas isso um dia acabará. Porque esta nação nada tem que ver com uma ideologia, nem com um partido. Esta nação existiu e existirá antes e depois de vocês.”

Esse diálogo, cuja íntegra está no blog Generación Y (http://www.desdecuba.com/generaciony), foi travado em 12 de outubro entre a blogueira cubana Yoani Sánchez e uma funcionária do Escritório de Imigração de Havana.

28 comentários:

Van disse...

Sigo a Yoani Sanchez no TT, há um bom tempo já, é de arrepiar e revoltar o que ela conta.

E pensar que nesse momento idéias comunistas tentam ganhar corpo em nosso país, (e infelizmente acho que conseguirão, pois vendem muito bem o peixe, como sendo a grande solução contra a "fome". É assustador.

Beijos Antonio!

Toninhobira disse...

O mundo precisa de mais pontes e menos muros.Os horrores que ficam atrás de um muro é trauma para toda historia.Enquanto houver separação de seres a humanidade estará pela contra mão.Belo texto amgio nesta data significativa que lhe inspirou.
Parabens amigo.
Estive lendo um excelente texto social de sua autoria na pagina da Luconi.Fiquei admirado.
Um abração.

Pastor Dennis disse...

I liked your poem about walls, also the picture of the Wise Men meeting the wall we build. Our fallen nature comes from an attempt to build a wall to keep God out and look where it has taken us in this world!

Paulinha Barreto disse...

Gostei muito. Otima semana. beijos

Ange disse...

Um texto livre retratando as muralhas da vida!
Um muro que destrói corações, um outro que constrói em muitos corações fé e consolo, e finalmente o muro visual, esta maravilha que dar-me a oportunidade de viajar virtualmente e chegar até esta página, para ler, ouvir, apreciar e conectar-me
atravessando muros e aprendendo...
Uma linda noite para você!
Lembranças
Ange.

rosa-branca disse...

Olá amigo, a vida já tem tantos ressaltos e leva-se tantos pontapés que não são precisos mais muros, pois o que a vida nos dá chegam. Beijos com carinho

Leila Krüger disse...

Às vezes, erguemos Muros de Berlim invisíveis entre nós e as pessoas.

Final feliz para o austero Muro de Berlim. Não precisamos de mais muros, precisamos de mais abraços.

Se puderes passa no meu blog e segue:
http://leilakruger.blogspot.com

Sou escritora, poeta, contista e romancista (tenho umas publicações) e tô lançando meu primeiro romance pela Editora Novo Século, "Reencontro". Caso te interesses, deixo o hot site do livro com a sinopse, primeiro capítulo e como comprar!

Uma ótima semana!
Beijos!

**♥✿-franciete filipe-✿♥** disse...

Meu querido amigo, eu por acaso li essa noticia e muito me custou ver o que fazem com as pessoas desses tristes Países que tem uma cultura tão diferente da nossa, as diferenças existem em algumas coisas ainda bem que elas existem, mas noutras onde se mal-trata tão vil mente o ser humano, é bem revoltoso chega a doer as entranhas.
Pois como estás vendo andamos todos em guerra e cada vez pior ninguém mais se entende , onde está o AMOR, onde está a UNIÃO onde,
onde, está escondido o AMOR AO PRÓXIMO. Pois é meu amigo jamais o vimos passar por perto.
Pode ser que como tudo que tem principio tem um fim ele não esteja assim tão longe, e vamos aqueles que poderem fazendo a diferença dar um abraço, um sorriso apanhar uma garrafa vazia ou um papel do chão, será uma gota de água no Oceano da vida, mas pode ser uma marca de uma das nossas tão faladas e desejadas pegadas,
o meu abraço que fica retido em Portugal porque não posso viajar para ai mas porque não tenho condições, não porque esteja proibida ficará sempre em pensamento te abraçando sinta o meu calor.
Que a vida te sorria hoje e sempre...

LUZ disse...

Olá estimado António,

Agradeço suas palavras e maravilhoso poema deixado em meu blog.

NÃO QUEREMOS MUROS, QUEREMOS PONTES.

Lindo seu poema, sem muros e com muito amor. Na muralha virtual, não temos nem damos dor.

Beijos de luz.

Celina disse...

OI AMIGO, PAZ PARA TODOS , DESDE O COMEÇO O HOMEM SEMPRE VIVEU ASSIM, O ÓDIO SEMPRE IMPEROU, TRAZENDO SEPARAÇÕES, DISPUTAS, AFINAL ENLUTANDO AQUELES QUE COM ELES NÃO COMPACTUAVA, SE VC FIZER UMA RETROSPECTIVA, ATÉ NA BÍBLIA, VAMOS ENCONTRAR GUERRAS SANGRENTAS, ENQUANTO O HOMEM NÃO UZAR O DOM DE SE COMUNICAR ATRAVÉS DA FALA E OS OUTROS SENTIDOS DADOS POR DEUS VÃO VIVER ASSIM ONDE O EGOÍSMO IMPERA...ABRAÇOS CELINA.

LUZ disse...

EU, MULHER


Eu, Mulher,
Quero vencer todas as barreiras,
Abolindo, desde já, as fronteiras,
Quero ser eu e, simplesmente, eu,
Buscando, feliz, o que é teu e meu.
Quero mais do que, sempre, tive,
Conseguindo mais do que obtive.
Quero seguir, firme, minhas ideias,
Criar e inventar novas teorias,
Procurando para todos melhorias.

Eu, Mulher,
Vou viver, calma e intensamente,
E voando, pacífica, livremente,
Vou resistir a todo o comodismo,
Recusando, peremptória, o cinismo.
Vou usar e abusar da sinceridade,
E dizer não à cruel falsidade.
E se o mundo entender, se quiser,
Que tenha o trabalho de me julgar,
Porque isso, não me vai incomodar.

Eu, Mulher,
Não prendam a minha Liberdade,
Porque ela me trará a Eternidade.


Luz.

Hana disse...

O mundo precisa de menos barreiras, mais amor, mais solidariedade, mais afeto, que caiam os muros do preconceito, da ignorância.
Querido amigo, sento saudinha e vim te deixar meu afeto!!
Com carinho
Hana

Flor de Jasmim disse...

Antônio
Comovente!!!
Nós precisamos cada vez mais conseguir vencer as barreiras que ainda vão colocando nas nossas caminhadas, não precisamos de muros.
Beijo

Sonhadora disse...

Meu querido Poeta

Mesmo que o muro tenha sido destruído...haverá sempre muros por vezes invisíveis.

Deixo um beijinho de Luz
Sonhadora

Zilani Célia disse...

OI ANTONIO!
QUE BOM, CAIU, É UM PASSADO VERGONHOSO PARA A HUMANIDADE, PORQUE TODOS SOMOS RESPONSÁVEIS, SE O MUNDO TIVESSE SE MANIFESTADO CONTRA, TALVEZ TIVESSE DURADO MENOS.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com/

ValériaC disse...

É sempre lamentável vermos que ainda há muito separatismo, muita dominação politica, muita ignorância, manipulação, falta de liberdade.
Muitíssimo bem escrito seus versos...
Que bom que o muro de Berlim caiu, mas outros muros, mesmo que tênues hão de cair ainda, a liberdade há de ser conquistada, há de haver um amor sem fronteiras entre a humanidade.
Boa noite querido Poeta, beijos...
Valéria

LUCONI disse...

Bem triste estes muros, e existem tantos muros que são invisíveis mas tão intransponíveis meu amigo, realmente uma pena a humanidade viver desta forma, mas aquilo que teu último estrofe disse é bem verdadeiro este amor natural é o amor fraternal, o amor mais puro que há, e é este amor que pelo mundo tem que se espalhar pois só ele pode derrubar os muros reais ou invisíveis que aprisionam o ser humano. Só tua alma nobre para fazer um poema com tal envergadura sobre os muros que aprisionam e humilham, beijos Luconi

Amor feito Poesia disse...

"Se eu gosto de poesia? Gosto de gente,
bichos, plantas, lugares, chocolate, vinho,
papos amenos, amizade, amor. Acho que
a poesia está contida nisso tudo."

Carlos Drummond de Andrade


Bom FDS....Beijos & Flores...M@ria

LUZ disse...

Olá estimado António,

Agradeço seu maravilhoso poema, deixado em meu blog. Não mereço tanto. Bondade demais, de seu coração.

Lhe desejo um excelente fim de semana.

Beijos de luz.


ACREDITE!


Acredite!
Sou, apenas, impressões, nada mais,
De uma vida bem vivida, sonhada,
Uma vezes só, outras, partilhada,
Tantas vezes sublime, tão sentida,
Mas, guardo recordações, nada mais.

Acredite!
Se sobram inquietações, nada mais,
De um tempo sem arte, sem memória,
Umas vezes silenciada, tão calada,
Tantas vezes animada, apaixonada,
Mas, guardo emoções, nada mais.

Acredite!
Se bastam lamentações, nada mais,
Nesta estrada longa e iluminada,
Umas vezes loucas, outras, poucas,
Tantas vezes pendular, a desejar,
Mas quero sensações e muito mais.

Luz.

Maria disse...

Querido poeta que os muros que impedem o voo livre de cada um de nós, possam um dia ser apenas pequenos grãos de areia levados pelo vento e assim, possamos voar sem restrições para além dos nossos horizontes.
Hoje vim também para agradecer o seu carinho por ter comemorado comigo o aniversário do meu marido, deixando a sua preciosa mensagem.
“Se planta uma semente de amizade, recolherá um ramo de felicidade (Lois L. Kaufman)”
Muito obrigado meu amigo pela sua gentileza e amizade, um grande beijinho.
Maria

Evanir disse...

Venho lhe trazer rosas as mais belas e perfumadas.
Venho agradecer seu carinho mesmo estando ausênte
não esqueceu de mim.
Nossa amizade é benção Divina em minha vida.
Sou feliz e agradecida em saber
que embarcou comigo na minha Viagem.
Uma Viagem de carinho amor e paz.
Estarei fazendo tudo que puder para
marcar minha presença no seu blog,
pois você com seu carinho muito tem contribuido
muito para continuar sendo a guerreira que sempre fui.
Um final de semana da paz e na luz.
Um Lindo Domingo..
Vou continuar te seguindo e te amando sempre.
Te Amo.
Evanir

BlueShell disse...

O mundo está assim...e continuará...porque há falta de humanidade, de miseridórdia, de tolerância...
Um Bj

Olinda Melo disse...

Caro Antônio

Numa altura em que novos muros se levantam, é uma ideia excelente relembrar o Muro de Berlim que condicionou tantas vidas, tanto física como mentalmente.É o símbolo, derrubado, de divisões, de separações que se constroem, inibindo a livre circulação de ideias e do entendimento entre as pessoas. Saibamos nós resistir-lhes e criar alternativas.
Referiu-se, e bem, a este nosso muro virtual que nós conseguimos neutralizar, através do intercâmbio de ideias e da amizade.

Muito obrigada pelo lindo poema que me ofereceu por ocasião da nossa homenagem ao Fado. Vê-lo-á no lado direito do 'Xaile'. :)

Grande abraço

Olinda

**♥✿-franciete filipe-✿♥** disse...

Bom dia meu querido amigo, ao menos as aves não tem muros nem deixam vidros partidos nas janelas, que bom que seria que pudesse-mos mudar de quando em vez os nossos corpos para os da aves. Assim poderíamos matar as saudades que os nossos corações albergam.
Beijinhos de luz e muita paz...
PS: olha meu querido me diz se gosta das músicas que tenho no meu cantinho.

Magia da Inês disse...

º°♥❤ Olá, amigo!
❤ Pelo menos, desse muro ficamos livres, mas há tantos outros que ainda estão de pé...
º°❤ Beijinhos.
♥❤ Brasil.

OceanoAzul.Sonhos disse...

Excelente poema sobre algo tão marcante.

um abraço
oa.s

Soraya Chaude disse...

Para mal da humanidade as pessoas constroem, bastnte mais muros do que pontes. Até quando amamos temos esse habito , que só nos magoa, mas continuamos quase sem dar conta.

Montserrat Llagostera Vilaró disse...

Bom dia:
Obrigada pelo seu comentario.
Vi la película El Niño del Pijama a Rayas.
Me emocionó, me hizo llorar.
Que gran ejemnplo el de estos niños, que a través de una alamabrada y en su inocencia crearon una gran amistad.
Y que golpe le dió la vida al General, cuando vió que su propio hijo era pasado por le cámara de gas, por error.
Realmente es una película dura y sentimental a la vez.
Um beijo, Montserrat