sábado, dezembro 03, 2011

Última Quimera



Nas noutes frias das dolorosas ilusões,
E nestes sonhos de mórbidos letargos;
Verto os poemas nascidos das afeições,
Verto em prantos, tristonhos, amargos.

E nestes sonhos de tristezas tumulares,
Dentre o chorar plangente dos violinos;
Escuto vozes soturnas d’outros lugares,
Como a entoar ao longe os doces hinos.

Neste momento, sinto a tua fragrância,
Do que foi nosso amor, na exuberância,
Essência da paixão, fruto da primavera.

E para relembrar teus últimos encantos,
As rosas murchas, os lírios e amarantos,
Serão recordações nossa última quimera.


19 comentários:

LUZ disse...

Olá estimado António,

Que transcendental e que subtileza!
Saudades de uma quimera. É possível, é diferente, é algo sublime, sim senhor.

SER QUIMERA É TÂO BOM, TÂO BELO!

SAUDADES DE UMA QUIMERA, À DISTÂNCIA, TALVEZ, É DIVINAL.

Gritante poema de amor! O SEU!

Bom fim de semana.

Beijos de luz.

Mery disse...

Oi, amigo*...
Lindo poema, nascido de afeições*...
"E para lembrar teus últimos encantos, as rosas murchas..."saudades da última quimera"; triste mas bonito demais!
Um forte abraço, da Mery*

ZilMar disse...

um lindo soneto...com gosto de despedida...

que seja uma doce quimera...

abraço e carinho Poeta!


Zil

Cicero Edinaldo disse...

as vezes é hora de dizer adeus a certas coisas e pessoas! as vezes é necessário tocar uma quimera!
lindo post! sutil e delicado!
---
blogestarcomvoce.blogspot.com

**♥✿-franciete filipe-✿♥** disse...

Nas quimeras e de sonhos encantados
vivem almas na pureza da ilusão
nas distantes horas e, dias, amargurados.
Lá longe, muito longe, ainda bate um coração.
Uma doce quimera, um suspiro um ai
num compasso de espera uma sombra se esvai.

Meu querido amigo isto saio assim como do levantar do nevoeiro uma silhueta conhecida aparece-se.
Beijinhos de luz e muita paz....

Hana disse...

Ficou tatuado no coração, este poema absurdametne lindo assim diz uma amiga minha.
O ser esepcial este meu lindo amigo!!
um fim de semana lindo pra !!!
Com carinho
Hana

Flor de Jasmim disse...

Antônio
Triste esta quimera!!!
Que estes sonhos de tristeza terminem logo e que a primavera te traga as flores florescendo acompahadas de amor.
Beijo e uma flor

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Caro amigo.

Quem passa por
nossa vida,
sobrevive em nós,
de forma alegre
ou triste,
independentemente
da nossa vontade...


Alegrias plenas
para ti,
e para o mundo.

Cidinha disse...

Olá amigo Antonio.Belissimos versos! Saudade profunda, sublime amor. Tocam a alma e traduz grande emoção. òtimo domingo pra vc e obrigada sempre pelo carinho! Bjos o seu coração.

Flor de Lótus disse...

Lindos versos,mas tão tristes que doem fundo na alma.
Beijosss

LUCONI disse...

Meu amigo,teu poema fala fundo a toda alma sensível, nossa quem não se perde em lembranças que outrora foram tão doces que só por elas valeu a pena ter vivido, faz-me pensar, relembrar, divagar, e sabe meu anjo se temos dentro de nós momentos assim para relembrar é porque amamos muito e fomos amados, e isto émuito bom, triste daquele que as desilusões da vida tornou amargo, seco. Extremamente lindo.
Agora o poema que me dedicaste tomei a liberdade de fazer um de interação e está lá publicado abaixo do seu na postagem de hoje http://textoscontextosereflexoes.blogspot.com/2011/12/dueto-santa-joana-darc.html confere e perdoa a audácia,
mas o teu estava tão lindo que acabou me inspirando, também tenho muito carinho e admiração por Sta. Joana D'Arc, beijos e lindo domingo pra ti, Luconi

Rosa Mattos disse...

Como uma folha que levanta voo ou página virada.., uma saudade.., uma despedida.

Um abraço e ótimo domingo/!


http://contosdarosa.blogspot.com

Celina disse...

OI AMIGO É TRISTE MAIS AO MESMO TEMPO LINDO,FALACE DE SAUDADES QUIMERAS, TUDO QUE FAZ DOER O CORAÇÃO, EU NÃO SABERIA DESCREVER E SÓ SENTIR. UM ABRAÇO FRATERNO CELINA

Soraya Chaude disse...

Lindo, e para me fazer pensar, foi feito por ti mas retrata meu estado de alma, como adivinhas-te?

TITA disse...

Amigo,o amor tem destas vozes exteriores a nós.Quando se vertem poemas o coração é um queixume intemporal.Um abraço.

Sonhadora disse...

Meu querido

Os teus poemas são rosas no altar da solidão...são a tua alma tatuada no tempo...luares de Outono...sonhos escorrendo das mãos...palavras eternizando instantes...sedes acesas na boca e ternura escorrendo dos dedos.
Como sempre adorei.

Deixo um beijinho com carinho
Sonhadora

Cicero Edinaldo disse...

Meu querido Antônio voltei aqui para indicar um blog de um grande amigo meu. Se puder visita: http://jewpoesias.blogspot.com/
Obg pelo carinho que vc tem com o meu Infinito particular!
vamos romper as barreiras da blogosfera!

Flor da Vida disse...

"Neste momento, sinto a tua fragrância,
Das carícias do amor de uma distância,
E nesta desilusão, gerada na primavera..."

Poeta, tudo isso é muito lindo!!!

Carinhos... E beijos

Flor da Vida disse...

Abraço recebido, o qual retribuo com carinho e afeto...
Beijos