quarta-feira, janeiro 19, 2011

Fragmentos de sonho


Tardes sublimes, augustas, serenas
Pairam em meus pensamentos vagos...
Lembranças saudosas, doces, amenas
Restam de sonhos, soturnos, amargos...

Quanta ternura na alma está acesa!
E luzes festivas de teu sentimento...
Vem a luz branca de pura beleza
Vem para alma com gozo e alento...

Tardes sublimes e que lentamente
Findam serenas do amor fenecido...
Somente o adeus de teu beijo ardente
Somente o sonho, de sonho florido...

Feliz de quem, do amor concebido
Agraciado com sonhos mais belos,
Que na lembrança vai embevecido
Dormir sob os seios, lindos, singelos...