sexta-feira, janeiro 28, 2011

O Refúgio

Como um amante que se refulgia
No aconchego de um grande amor
Na solidão da qual eu me via
Atormentado com muita dor

Fazia frio, e o frio que eu sentia
Era um frio mortal e cortante
Por isso mesmo na alma eu sentia
O teu calor e um sonho restante

Sem tua alma agora não passo
Pois no calor do teu coração
Aqueço do frio e agora refaço
A minha vida e minha paixão

De teus sonhos secretos escrevo
Um texto tornado em pura emoção
Retomo a vida, e finda o segredo
Nesse momento de Inspiração!

Com as Flores


Com as flores que teu corpo vou ungir
Com aromas, com fragrâncias, devaneio
Em minh’alma os aromas vou sentir
Com os versos de amor que tanto anseio

Vem com graça, adornada e sedutora
Vem teu corpo, de belezas perfumadas
Vem na graça da paixão fascinadora
Com as flores mais bonitas e almejadas

De origens divinais e embevecidas
Dos mistérios, aguardados da distância
Das visões celestiais e indefinidas
Das histórias, e dos contos de infância

É momento de amar e te rever
Com os hinos concebidos de amor
No esplendor, da paixão agraciada...

Em teu corpo, o meu corpo aquecer
Com amores que meus olhos vão sentir
No silêncio de uma noite ansiada...