terça-feira, fevereiro 08, 2011

As Pedras Clamam...



Ó pedra, pedra... Ó grandiosa penha!
Pedra em que do meu caminho faz
Fronteira que no céu desdenha,
Misteriosa, mítica, símbolo da paz!

Tanta grandiosidade, nessa solidão!
Primitiva herança da soberba imensidade
Altares, monolíticos e do tempo são,
Testemunha eterna da Divina Santidade!

Obeliscos nessa terra deslumbrante!
Solenes esculturas, cinzeladas,
Nos desejos, do mistério sacrossanto.

Ó gigante adormecida, colossal gigante!
Misteriosas visões atravessam desoladas
A vida se acabando, dolorida e em pranto.

Pedra Altar



Às vezes fico um instante
Aquela pedra contemplar
Solitária no meio da mata
Parece um grande altar
Devoto alguns instantes
Uma prece a meditar
Ofereço a ti ò Deus
Meu corpo naquele altar
Assim como Isaque
Também me poupará
A pedra é um convite
Ao seu alto me levar
Quem sabe lá de cima
Meu caminho avistar