quinta-feira, fevereiro 17, 2011

Imortal Atitude

Por serdes de uma beleza fulgida formosa
Com ternura, por entre as flores delicadas
Tudo torna uma graça, para mim esplendorosa
Sobre tuas singelezas, virginais e imaculadas

Em teu corpo, há um letárgico encantamento!
Frutos da tua essência, pueril, e agraciada
Doces harmonias vagam em meu pensamento
Sonhos em que te via, alegre, e apaixonada!

Ouço uma canção, e sinto tal melancolia
Quando a escuto, vaga, triste, desolada
Sobre as lembranças, do amor que apetecia
Esperança que nutria, e agora abandonada

Fico sempre a pensar, se tu viesse a morrer
Será eterna angústia, e que mais me restaria?
Somente as canções, do amor, do bem querer
E o mundo que almejava, para mim sucumbiria