terça-feira, fevereiro 22, 2011

Essência de uma Flor

Quando a alma floresce na incerteza
E os pensamentos vagos à noite vão
Vêm os lívidos fantasmas da tristeza
Para rebuscar-te na força da solidão



Ecoando em tristeza, prantos e soluços
Quando vais às dores dos teus lamentos
Nessa cadeia, sem flores e sem os frutos
Na fogueira fria, vertida dos sofrimentos



Pra curar teu coração ferido e magoado
E conter as lágrimas soturnas, ardorosas
Do teu sonho, sofredor amargurado,



-Levanta ao céu que te acolhe em festa
Com tua alma agraciada, nevoenta
Para a noite do amor que te completa...