sábado, março 05, 2011

Alma Peregrina



Quando a fria lapide acampar, 
As preces fervorosas e esta oração; 
Estarão as rosas como a chorar, 
Os sonhos idos, o amor e a paixão... 

Teu ser, compassivo e carinhoso, 
Os anjos harpejam por convulsos dedos! 
Entoam um Salmo, sublime, glorioso, 
Balada melodiosa, poemas e enredos... 

E dentro do leito, lágrimas e memórias, 
De todos os sonhos, pueris, imaculados, 
São melodias, sublimes e merencórias... 

É quando verte do céu, uma música divina! 
-Rosa das Flores, que pelas flores murmura, 
Tua alma por entre elas, passeia e peregrina...