quarta-feira, março 23, 2011

No Outono

Junto ao Outono é que floresce a vida
Vicejam nas folhas, os almos encantos
Os doces eflúvios, singelos quebrantos
Na languidez de uma flora adormecida

De tal forma os dias ermos solitários
Cingem de encanto sagrado da essência
Cobrem de âmbar e cândida existência
Na transfiguração dos campos vários

Em tons de sépia e fúlgida imagem
Reveste-se o chão de singela paisagem
De cores amenas e mórbidos letargos...

Eis que surge o arrebol, luzindo na hera
Com imagens de uma estranha quimera
Em um sonho de amor e doces afagos...


*Imagem Glimboo.com