segunda-feira, março 28, 2011

Fantasmas da minha Ópera

Num teatro vazio, deixo os conflitos lá fora,
Pois no palco da minha vida, querem atuar.
Meus conflitos quais fantasmas duma ópera,
Querem uma trama, neste palco consumar.

Lá fora a vida passa, e passa aqui também,
Mas não era essa peça que queria apresentar.
Talvez comédia ou um drama, não sei bem...
Queria nesse palco, muito mais que te amar.

Pensamentos, fantasmas que perambulam,
Num cenário de uma natureza hoje morta,
Onde era uma vez, um dia foi, não importa...

Não vieste ver-me encenar... Que tristeza!
O script foi o meu coração, enredo de mim,
Ao apagar das luzes, fechada a cortina, Fim...