terça-feira, abril 05, 2011

Tributo a uma Guerreira (Sta. Joana D'arc)


Em paz na tênue bruma do santo lugar
Choram os orvalhos na laje esculpida...
Junto à escultura me ponho a rezar,
De alva singela, de nobre e tão linda...

Por rudes caminhos eu vim peregrino
Em solo bretão de um santo templário
Na paz tranqüila e talvez meu destino
Em doces encantos de tal santuário...

Um santo lugar de lendas e glórias...
Que hoje contrito devoto uma crença
Nas lutas extremas de tais sentimentos.

Transborda em mim a sutil devoção
No longo silêncio do amor tão singelo
De prantos tardios pelos teus sofrimentos.




Joana D’arc nasceu na França no ano de 1412 e morreu em 1431 (época medieval). Foi uma importante personagem da história francesa, durante a Guerra dos Cem Anos (1337-1453), quando seu país enfrentou a rival Inglaterra. Joana D’arc foi canonizada (transformada em santa) no ano de 1920.
A história da vida desta heroína francesa é marcada por fatos trágicos. Quando era criança, presenciou o assassinato de membros de sua família por soldados ingleses que invadiram a vila em que morava. Com 13 anos de idade, começou a ter visões e receber mensagens, que ela dizia ser dos santos Miguel, Catarina e Margarida. Nestas mensagens, ela era orientada a entrar para o exército francês e ajudar seu reino na guerra contra a Inglaterra.
Motivada pelas mensagens, cortou o cabelo bem curto, vestiu-se de homem e começou a fazer treinamentos militares. Foi aceita no exército francês, chegando a comandar tropas. Suas vitórias importantes e o reconhecimento que ganhou do rei Carlos VII despertaram a inveja em outros líderes militares da França. Estes começaram a conspirar e diminuíram o apoio de Joana D’arc.
Em 1430, durante uma batalha em Paris, foi ferida e capturada pelos borgonheses que a venderam para os ingleses. Foi acusada de praticar feitiçaria, em função de suas visões, e condenada a morte na fogueira. Foi queimada viva na cidade de Rouen, no ano de 1431.