terça-feira, abril 19, 2011

Infinito Amor

Este amor, puro, santo e caloroso
É a graça, que nos une e é benfazejo
Pois acolhe minha alma com um beijo
Com um aroma, divinal e ardoroso

Angelical, meigo, cálido e formoso
Em minh’alma acalenta, transfigura
Em minh’alma é consolo, é ternura
Como bálsamo de rosa, perfumoso

Este amor, benfazejo e inaudito
Concebido no esplendor do infinito
É um amor, lá dos lábaros sagrados...

Vem das divindades e das emanações
Vem no alvor de doces contemplações
Nos consolos divinais e abençoados