terça-feira, junho 28, 2011

Graciosa Alma


Que a graça de todo ser humano
Concebida na pura fraternidade
Venha aliviar do tormento e dano
Venha olhar com doçura a caridade

Para que todos quantos no oceano
De tristeza, dos prantos e insanidade
Que dum amor precioso e soberano
Tenha nela tão sublime imensidade

Quem está na graça do amor profundo
E quem abraça a dor de tantos
Mais parecem almas d’outro mundo

É na graça que os anjos compadecidos
Sofrem com os soluços graves
Chorando com mútuos e iguais sentidos