quinta-feira, agosto 04, 2011

Imortal Coração

Nesta pétrea imagem de extrema aflição
Isolada nos báratros de trágicos flagelos
Verti em meus sonhos o amor e a paixão
Tornei-te princesa, dos contos mais belos

A tua volta a poesia se abanca e chorosa
Com seus cantos tristes de soluços e dor
Vem como brisa suave, soturna e jocosa
Vem nos suspiros tristonhos de um amor

Nesta história dos meus sonhos lendários
Vou escrevendo nas portas dos santuários
Este poema de um bardo e sua doce ilusão

Com os soluços de lágrimas e tanta ternura
E com este amor que diviniza e transfigura
Sepulto meus sonhos em teu coração