quinta-feira, setembro 29, 2011

Teatro e Circo

No palco, um ator representa um papel,
Das aventuras humanas, da lida diária...
Belo e perfeito, ele vai convencendo,
Imitando, debochando, satirizando a vida...

Emocionado, contrito, atento e calado,
Tento convencer-me, com afinco e vontade,
Interagindo com o público,
No glamour deste teatro!

-Também quero ser ator!
E se possível for, sob luzes nesse palco!
Mas venho ensaiando há tanto tempo,
Para assim participar, e me sentir no alto...

Quem sabe me tornar um ator reconhecido.
E no meio desse elenco, ser o centro do espetáculo!
-Realmente consegui, meu intento alcançar!
Tornei-me um ator, na arena do Gran Circo!

Atuando outro dia, como manda o script,
Multidões foram à rua, sem pagar e sem convite.
Agilizei meus passos, para a rua atravessar,
Mas sofri um grande tombo, 
E o nariz a fraturar!

Qual não foi minha surpresa, ao ouvir muitas risadas!
Do meu público na rua e do sangue derramado...
Só porque escorreguei, e fiquei estatelado.
Apenas não sabia, que o papel que eu fazia,
Não era de ator, mas um anônimo palhaço!