terça-feira, janeiro 10, 2012

A Velhice e Alguns Versos



Escrevendo

No transcorrer da escrita,
Onde fluem meus enredos,
Das glórias, inglórias,
Dúvidas, medo...
E na ilusão da vida,
Vivo um sofrimento.
No restante do espaço em branco,
São lágrimas molhando...


O Ancião

Ingratidão, desprezo e indiferença.
Sofre agora um homem idoso...
Relegado ao esquecimento num quarto
O velho vive assim de teimoso...

Quando não internado num asilo,
Por todos se torna um estorvo!
Os filhos que deviam amá-lo,
Pra eles se torna um louco!

Contudo, o velho,
Quando mais novo serviu!
Ao filho levou-lhe nas costas
A mãe carregou-lhe no ventre
Ainda no colo também.

Hoje, diz o filho raivoso:
-Está fazendo hora extra aqui,
Esse insano, infeliz e desditoso!


A Velhice

No cerne profundo e trôpego da memória
Carregas uma saudade e tantas nostalgias
Que adormecida na sombra da tua história
De noites tantas, de tantas quanto os dias...

Mas o inconsciente te consome e anestesia
Com os sentimentos febris e amordaçados
Mas tu'alma, te revolve, te enfada e alivia
Nas ilusões dos teus sonhos já findados...

Anatomia das recordações e das labutas
Que subtrai o cancro latente d’amargura,
Dolorosa via, mãos dolorosas, impolutas...

Fizeste da memória um precioso relicário
Florescendo no corpo da tua desventura,
Quer nos prantos, nos soluços, e no velário...


O desejo que as pessoas nutrem em ser jovens para sempre está arraigado desde tempos imemoriais.
A lenda da fonte da juventude ainda hoje faz parte dos contos de fada e histórias, passados de pais para filhos.
Atualmente os recursos materiais para manter uma jovialidade, dita moda em toda sociedade, e principalmente a Ocidental.
A aversão à velhice faz com que ela seja encarada com medos e temores, e faz com que não valorizemos o que de mais precioso há nisso.
A velhice, porém, traz um encanto e uma beleza que para muitos é difícil contemplar, por conta da degeneração ou decrepitude própria da matéria carnal.
Essa beleza é trazida ao longo de uma existência, na forma de sabedoria e experiência de vida.
Ser idoso confere a pessoa, um respeito por ter pela vida passado, com lutas, dificuldades e sofrimentos.
Desde seu nascimento até seu último momento, conseguiu o idoso passar pelas etapas mais difíceis.
No Oriente há toda uma cultura voltada a reverenciá-los e isso é muito louvável e digno.
Oxalá que possamos usufruir desse sentimento tão nobre.




47 comentários:

Claudio Poeta disse...

Triste e belo trabalho, meu amigo! - Parabéns! - Abração

Arnoldo Pimentel disse...

Uma postagem bela, triste e verdadeira.Parabéns.

ZilMar disse...

Antônio Lídio,mais uma obra linda...

suas poesias trazem a cosciência de um povo que esquece de onde veio...e como veio...sua origem...seu legado...

Poeta,eu deixo aqui a minha mais profunda admiração...e respeito pelo seu trabalho...amo tudo isso aqui...

meu abraço...

Zil

Pastor Dennis disse...

Estas observaciones y los versos son sabios. En mi trabajo visito muchas personas mayores.

Ivone Poemas disse...

Antonio Lídio, lindos versos sensiveis em louvor e alerta à velhice, pois só não envelhece quem morre jovem, portanto deveriam fazer apologia a uma boa velhice e em nossa cultura isso ainda está muito longe!
Os orientais estão muito à frente dando dignidade a essa fase da vida, aprendeste e aqui postastes esses lindos versos, lindo isso!!!
Abraços amigo de alma linda!
Que a sua velhice seja linda e bem vivida!
Ivone

Evanir disse...

É sua amizade que desejo lembrar para sempre e estará sempre em meu coração,
mantendo-nos aquecidos, fortalecidos e segura de que nunca estarei sozinha.
E é assim que eu guardo você
Minha linda Amizade.
E é assim que eu quero guardar...
Como alguém que estará longe, mas sempre lembrará de mim.
Obrigada pelo carinho nesse um ano de Viagem comigo.
Obrigada por estar do meu lado sempre sem notar meus defeitos
me aceitando como sou.
Sei que deixo muito a desejar em responder a sua visita
mais tenho cada amigo e amiga no coração.
Me perdoe por levar uma unica mensagem para visita
infelizmente minhas mãos não ajuda .
Porem me sinto feliz e recompensada por todos entender minha situação.
Na postagem tem uma presente desse dia tão feliz para mim
ficarei feliz em encontra-lo no seu blog.
Obrigada ,Deus esteja com todos nos nessa jornada
que Deus me permita estar contigo por muitos anos ainda.
Beijos e carinhos.
Evanir

Celina disse...

É MEU AMIGO VC DIZ UMA VERDADE, OS PAIS A MAIORIA DAS VEZES PARA CERTOS FILHOS SÃO UM ESTORVO, EU ADMIRO MUITO A CULTURA JAPONESA, O IDOSO PARA ELES REPRESENTA CULTURA ,SABEDORIA E RESPEITO. TUDO NO JAPÃO ME ENCANTA A EDUCAÇÃO DO SEU POVO, A SUA EDUCAÇÃO. MEU AMIGO OS SEUS VERSOS SÃO VERDADEIROS TRISTES E LINDOS,UM ABRAÇO FRATERNO CELINA.

LUZ disse...

Olá querido e estimado António,

Li seus poemas/pensamentos com atenção e reflexão.
Embora, ainda um pouquinho longe da velhice, a admiro e respeito muito.
A sabedoria se vai acumulando ao longo dos anos.
Sabedoria e experiência contam.
Claro, que sua poesia, você, as suas palavras têm razão ao dizer, que velho é um estorvo para os filhos, mormente.
Eles se esquecem de tudo o que representaram e representam para seus pais e aquilo, que eles lhe deram: A VIDA.
Mas filho és, pai serás.
Por opção, não tenho filhos. Sou tão feliz, desse jeito!

Beijos de muito carinho e luz.

LUZ disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Toninhobira disse...

Uma rica postagem amigo,pontos de reflexão,que fazem repensar e emocionar. Feliz inspiração nesta pagina triste.Parabens.EM sintonia postei algo parecido com esta onda amigo.
Meu abraço de paz e luz nos seus dias.

Magia da Inês disse...

°º♫
°º✿ Super triste!!!
º° ✿♥ ♫° ·. Beijinhos.
✿⊱╮Sua amiga mineira.

Olinda Melo disse...

Meu Amigo

Excelente tema, tratado com palavras sábias!

É cada vez mais premente a consciencialização do que se passa na sociedade de hoje em dia. Por cá, o envelhecimento da população é um facto, para além do facto de não haver já a reposição, necessária, de gerações há o outro lado da questão: o que acontece aos que depois de uma vida de labor se vêem sem forças e muitas vezes com reformas baixas ou quase nemhuma? O caminho mais certo é colocá-los em lares que, muitas vezes, nem condições têm para que levem uma vida digna.
Para trás ficam as sociedades com o seu Conselho de Anciãos que, pela sabedoria que a idade confere indicavam caminhos, os Griots que, com a sua experiência e vidas vividas contavam (ou contam ainda, em África, talvez?), a história dos seus povos, passando de geração em geração, os costumes, os actos de heroísmo, as caminhadas pela sobrevivência.
É urgente que paremos para pensar o presente e o futuro, não só os responsáveis mas, em especial, os filhos.Embora tenhamos de lutar para garantir a subsistência e nos reste pouco tempo ao fim do dia, reservemos aos nossos pais o lugar merecido no nosso coração e revejamos nas suas rugas o sinal do muito que fizeram por nós.

Meditemos nestas suas palavras:

Quando não internado num asilo,
Por todos se torna um estorvo!
Os filhos que deviam amá-lo,
Pra eles se torna um louco!

Amigo Poeta, muito obrigada!

Abraço
Olinda

ValériaC disse...

Meu querido, seus poemas mostram o quanto ainda temos que despertar e aprender a valorizar o passar dos anos de cada um, inclusive os nossos.
Se faz necessário que aprendamos a ter sabedoria ou ao menos bom senso, neste processo que atinge a todos nós infalivelmente, envelhecer tem que ser como uma arte, um exercício que deve começar desde bem cedo, aprendendo a dar valor em cada dia vivido e na oportunidade de ter aprendido com a lições da vida.
Sempre lamentável ver o elevado grau de rejeição que as pessoas tem pelo envelhecer, até nós o sentimos também de alguma forma, quando vemos os cabelos brancos surgindo, quando vemos as primeiras rugas vincando nosso rosto, mas temos de entender que há tempo para tudo, que em cada tempo, seu próprio encanto, temos que aceitar o inevitável e saber bem conviver com as mudanças e ciclos da vida.
Beijos e que 2012 seja pleno de bençãos em sua vida meu tão estimado amigo...
Valéria

Pedro Menuchelli disse...

Antonio,

São inumeras as ideias que agora passam na minha cabeça. Gostaria de ser um pouco mais maduro pra entender, de fato, o que elas querem dizer e aonde querem chegar, afinal. Enquanto isso, tento passar minhas reflexões a você.

Sempre achei que escrever fosse um dom de Deus. Não sei muito bem se acredito Nele, mas acho que tem algumas pessoas que provém de dons que outras tem, mas não sabem relacionar isso com suas vidas. Algumas tem o dom de fazer o bem. Com isso, acabam ajudando as pessoas e dando sua vida em prol a quem mesmo elas não conhecem, porém, sabem que essa é sua missão. Outras, tem o dom, mas fingem não saber como usá-lo e acabam perdendo. A escrita é um dom. Quem escreve tem em sua mente uma porção de sentimentos e de ideias que, fictícias ou não, proporcionam ao leitor um estado de espirito diferenciado. Há textos que nos fazem rir, outros chorar, ensinam e até nos ajudam em alguns momentos. Saiba que você possui esse dom. Você possui o dom de levar seus leitores (eu sou um fã seu) a um patamar unico. As emoções e reflexões propostas com cada linha mexem totalmente com o sentido do dia da pessoa que o lê. Assim é comigo. Meu dia pode ter sido o pior possivel, mas quando leio o que você escreve, acabo ficando bem. Cuide do seu dom, Antonio. Cuide.


E quanto a velhice, eu tenho medo. Tenho medo de ficar velho e morrer. Tenho medo da morte porque nem eu e nem você sabemos quando iremos. E eu não quero ir em um momento em que não sinta que esteja preparado sabe? Ou seja, que eu não tenha feito tudo aquilo que gostaria. Mas, a gente não escolhe. Infelizmente, é uma fase que mesmo incerta, tem que acontecer. E digo-lhe mais, fico feliz hoje por ter lido mais um texto seu.

Um grande abraço, muito obrigado por tudo!

Pedro.

Flor de Jasmim disse...

Antônio
Lindo demais!
Os meus Parabém e obrigado por estas magnificas palavras.
Eu estou longe de ser velhinha e não sei se algum dia o serei, mas tenho imenso respeito pelas pessoas "velhinhas".

Beijinho muito grande

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

Parece que não há coincidências...não sei...talvez sim, talvez não; o que é certo é que os nossos posts tratam do mesmo assunto, um tema que está na ordem do dia, pois estamos no ano europeu do envelhecimento ativo. Achei por isso oportuno falar do assunto. Não deveria ser necessário escolher determinada época para lembrar os idosos, mas infelizmente é, não só necessário, mas urgente, pois a nossa sociedade esqueceu-se completamente que aos idoso tudo devemos e que, se a vida o permitir lá chegaremos; é bom que nos lembremos que o que fizermos aos nosso idosos será com toda a certeza o que nos farão a nós. Parabéns pelo tema escolhido e pelos magníficos versos que dedicaste a estas pessoas tão desvalorizadas e completamente esquecidas. Um beijinho, amigo e até breve
Emília

ONG ALERTA disse...

Talvez realidade envelhecer é para poucos, beijo Lisette.

Ange disse...

Amigo poeta! Uma linda coletânea de belos versos retratando, cantando, homenageando e clamando os dias acumulado nos anos da nossa velhice.
Uma maravilhosa coletânea! Meus aplausos!
Uma linda noite para você!
Lembranças.
Ange

LUZ disse...

Olá querido António,

Passando para o reler e rever, com saudade.
Amanhã, ao entardecer, nos "encontraremos", como sempre.

FELIZ E RADIANTE DIA.

Beijos de muito apreço, carinho e muita luz, que guardo em meu olhar.

Chiquinha Menduina disse...

Querido Antonio, só de ti sairia tão bela obra... serei sempre sua fã.. pensar na velhice deixa os jovens sem atitudes...beijos meu..

Van disse...

Oi Antônio

para mim um dos maiores encantos que a velhice traz é a serenidade.

Muito obrigada por sua presença ao meu lado em minha comemoração, obrigada pala sua atenção e carinho.

Abraços, Antônio!

Filha do Rei disse...

Oi!!Parabéns pelos textos,pelos comentários.Gostei muito de ter encontrado o teu canto. Abraço!

♫*Isa Mar disse...

Oi Antonio, seus versos sempre nos trazem grandes reflexões, saber envelhecer é uma arte.
Quantos ainda novos já demonstram em seus traços a velhice, enquanto outros apesar da idade parecem jovens.
A maneira como levamos a vida se reflete nos traços do rosto, os que vivem mais alegres e otimistas conservam a pele mais saudável,pois o corpo reage aos nossos impulsos interiores.
Sejamos sempre jovens, cultivando a alegria no coração, e os traços dos anos vividos não se farão tão marcantes.
Ainda chegará o dia em que os idosos serão mais respeitados, pelo menos estamos fazendo nossa parte né amigo? poesias como a sua revelam isso e são de grande importãncia.
Beijos e um ótimo fim de semana pra ti!

TITA disse...

António,esta etapa da vida é uma daquelas que mais me toca,pois os velhos na sua maioria são tão esquecidos e arrumados para o canto...Procuro no meu dia a dia dar a maior qualidade de vida à minha mãe já velhinha e que comigo vive para que tenha dignidade até ao fim.Gostei muito do teu post.como sempre intenso e profundo.Um abraço e um bom fim de semana.

Magia da Inês disse...

º°❤
Bom fim de semana!
Beijinhos.
Brasil
°º✿
º° ✿ ✿⊱╮

**♥✿-franciete filipe-✿♥** disse...

Meu querido amigo do coração, não tenho palavras capazes para retribuir o teu lindo comentário. Mas tenho em meu coração a maior estima e consideração para ser sempre aquela amiga fiel e companheira, mesmo que na escuridão que nos separa, sempre haverá um caminho que me leva até TI.
Há quem escreva amor com duas letras, eu escrevo amigo com duas letras "TU".
Beijinhos de luz e que nosso anjo te leve sempre minha amizade até ti(adoro ser tua amiga neste e na outra vida)...

. intemporal . disse...

.

.

. uma página acima de quais.quer expectativas .

.

. para que nunca envelheçamos .

.

. um bom fim de semana .

.

. um abraço .

.

.

Maria disse...

Meu amigo poeta quanta sensibilidade nestes versos maravilhosos e tocantes. Os jovens de hoje esquecem que um dia também serão idosos e têm pouca compreensão pelas dificuldades e limitações dos mais velhos eu vejo isso no dia-a-dia. Fico tão triste por ver a mágoa e dor nos olhos de idosos que têm filhos e no entanto na reta final da sua vida ficam completamente sózinhos, pois os filhos não querem saber deles.
Os meus paizinhos têm 88 e 84 anos, estão quase 100% dependentes de mimi, mas isso não importa, pois eles são o meu orgulho, as minhas raízes, a minha fonte de existência e todos os dias dou graças a Deus por eles ainda estarem ao meu lado.
Um grande beijinho
Maria

LUZ disse...

Boa noite querido António,

Quero, muito sensibilizada, lhe agradecer as maravilhosas palavras, que deixou em meu blog.
A nossa amizade se vai estreitando e se solidificando. Fico feliz.
Lhe peço desculpa, por ter retirado o cabeçalho anterior de meu blog, de que tanto gostou, mas o poema, que postei, ontem, exigia imagem arrebatadora e romântica. Ela, representa Romeu e Julieta.

Bom Domingo.

Beijos de muita ternura e luz.

Evanir disse...

Uma linda tarde de Domingo.
Embora tenha que levar sempre
uma cola para visitar você e a todos que amo tanto.
O meu blog para mim é uma benção de Deus na minha
vida.
E nesse mundo gingantesco de blogs amigos
que encontro o carinho que me liberta fazendo
com que eu viage esquecendo por
algum tempo minhas dores fisicas.
Quanto ao meu coração eu deixo para todos vocês cuidar
me sinto forte em cada abraço deixado nos comentários.
Como é bom receber sua visita e compartilhar uma amizade
verdadeira .
Meu eterno carinho.
Beijos no coração.
Evanir...

maria selma disse...

Toda uma verdade nesta postagem
è uma etapa difícil.
Estou passando esta etapa com meus pais,eles tem como se manter,gostaria muito que convivesse comigo mas não querem sair de sua morada...
Acredite é complicado...
Boa noite amigo...

Celina disse...

OI AMIGO PASSEI PARA TE DESEJAR UMA SEMANA DE MUITA PAZ, E AGRADECER A TUA VISITA, E O COMENTÁRIO. UM ABRAÇO FRATERNO CELINA

Cidinha disse...

Olá, Antonio. Belos versos sempre querido poeta. O texto nos mostra a dura realidade em ser velho. Nos toca profundo sentimento dessas pessoas serem esquecidas por tudo que viveu. Obrigada amigo pela partilha! È muito bom passar por aqui. Bjos no seu coração.

O Árabe disse...

Esta é uma triste realidade, meu irmão; ainda que dita com todo o teu lirismo. Oxalá dela se conscientizem os nossos jovens... os velhos de amanhã. Meu abraço, boa semana.

。♥ Smareis ♥。 disse...

Uma postagens linda, maravilhosa, verdadeira e real. Porém meia triste. Uma dura realidade essas dos idosos. Falta conscientização. Beijos e ótima semana.

Flor da Vida disse...

Maravilhosa obra poeta!!!

Carinhos...
Beijos

may lu disse...

Infelizmente estamos cercados de almas velhas, sem cores, sem amores... São almas que não enxergam a grandeza do idoso, dos dias vividos, dos aprendizados que podem ser passados. Saudades que sinto de pessoas assim que já passaram por mim e me deixaram seu legado, o respeito ao ser humano, o amor à poesia, a vida. beijos

Flor da Vida disse...

Grata... Bjs

Bergilde disse...

Convivendo com exemplos de vidas bem vivídas também aprendemos o que significa esse bem viver onde escrever pode ser uma excelente terapia.
Gosto muito das suas reflexões poéticas!
Abraços,

BlueShell disse...

Dúvidas, medo...
Um excelente post para reflexão.
Bj

Olinda Melo disse...

Bom dia, meu caro amigo

Tudo bem?

Há encontro marcado, amanhã, no Xaile de Seda.

Lá o espero! :)

Abraço

Olinda

ONG ALERTA disse...

Bom fim de semana, beijo Lisette.

LUZ disse...

Olá querido amigo António,

Tudo bem com você?
Espero, que sim, com a graça de Deus.
Já sinto saudades de um txto novo seu.
Bom Domingo.

Beijos de muita ternura e luz.

LUZ disse...

Olá querido amigo António,

Tudo bem com você?
Espero, que sim, com a graça de Deus.
Já sinto saudades de um txto novo seu.
Bom Domingo.

Beijos de muita ternura e luz.

fernando. disse...

Meu querido amigo cadê você?
O que se está passando, pois você é uma pessoa que tanto gosta de nos dar poemas novos e lindos e já faz 12 dias que nada nos diz nem aqui nem por email. Tenho saudades mas são mais saudades de preocupação porque para estar todo este tempo algo se está passando, por favor nos diz que está tudo bem e que apenas está em pausa, para si os meus votos de boa saúde e tudo de bom beijinhos de luz e paz...

Maria disse...

Querido amigo poeta, passei para desejar um santo domingo e deixar um beijinho.
Maria

Pedro Menuchelli disse...

Sinto sua falta Antônio.
Espero que esteja tudo bem!
Mande noticias.

Um grande abraço,
Pedro