terça-feira, fevereiro 14, 2012

Desconexão

Há de chegar um momento em que a solidão será banida...

Dizem que para isso,
É preciso desligar o computador...
Para que tantas informações, disseram,
Se a vida é passageira, curta,
E muita coisa será deletada?
São milhares de informações
Downloads e tantos programas,
Discografias aos montões.
Enciclopédias, imagens,
E um universo dentro de casa...

Será que haverá tempo suficiente
Para baixar mais tantos gigas,
Se a vida é curta e nem tudo será usado?
E ainda que haja tantas redes sociais querendo te conectar;
Ainda existe uma real e anterior a essas.
–Um mundo lá fora!
Um mundo carente de um ato de Amor.

Porém,
Sabemos que logo iremos nos decepcionar...
Pois mentira, difamação, calúnia e
Falso testemunho são papéis a desempenhar,
E de quem menos imaginamos!

E se acharmos que somos o supra-sumo da humanidade,
Saibamos que sucumbiremos ao pó,
Igualzinho aos outros.
Pois quando somos avaliados por outros,
Também não somos nada,
Do que queremos aparentar.

De qualquer maneira,
Obrigo-me a ver dessa maneira;
Pois ao tirar os óculos de narciso,
E num lampejo de equilíbrio;
Revejo meus procedimentos.
Busco aceitar e fazer parte de cada cena,
Que arrisco na peça A Vida;
E fingir que ela vale a pena.
Ou serão esses procedimentos,
Uma tecnologia humana,
Ultrapassada e obsoleta?

Inspirado no poema Vida 2.0 (Um esboço)
do Bardo


28 comentários:

Mery disse...

Olá.saudades.
Eu li o texto "Conexão"...Eu te digo já odiei o meu computador , foi um "amor virtual decepcionante, quase o quebrei...passou?
Não, não passou e hoje uso pouco, pois acho que é uma faca de dois gumes, usá-lo sem exageros, com um objetivo "que seja para te informar ou ler, sim, pode ser uma boa leitura," sem narcisismo...
Um universo dentro de casa, concordo?
Mas existe um mundo lá fora carente e palpável, real.
Esse é o mundo que prefiro viver, depois de me encantar com a vida "virtual; beijos.
Obrigada por partilhar, o texto é excelente, foi bom ler e vir aqui; adorei, e então é nesses casos que vale a pena..."a tal tecnologia".
Ficar conectada pode ser delícia! rs

Celina disse...

OI QUERIDO AMIGO, VIM AGRADECER A TUA VISITA SOBRE A AMIZADE,O POEMA É LINDO , AINDA SE ENCONTRA AMIGOS VERDADEIROS,COMO DESCREVESTES. QUANTO A POSTAGEN DE HOJE, EU TAMBEM ACHO UM EXAGERO, ESTOU SOMENTE COM ESTE BLOG. APAGUEI O FACE BUK E O YORKUTE, SE NÃO OS MEUS DIAS SERIAM TODOS AGARRADO AO PC. UM ABRAÇO FRATERNO CELINA.

Ange disse...

Boa tarde prezado poeta!
Achei interessante onde apontas que através desta pequena tela abre-se um universo dentro de casa...
Mas que também existe um mundo real, um mundo lá fora!
Temos sim, que ter cuidado, para não fundimos um universo com o outro!
Deixo-te aqui visualmente meu carinho e abraço.
Lembranças
Ange.

Ivone Poemas disse...

Meu amigo consciente e sábio, vá lá no meu espaço, postei algo que talvez vá gostar?! É no blog "levitar em brancas nuvens", pois lá escrevi sobre muitas coisas que vivenciamos e sofremos muito, pois é amigo!
Aqui mostrastes que há um certo "vazio" não preenchido com tantas informações, redes sociais, pessoas também vazias que dizem tantas "bobagens" sem sentido!
Eu uso sim o computador na medida que preciso como aqui agora, mas nunca me sinto escrava, jamais, nem gosto de celular, perdi o meu e nem quero encontrar!!!
A vida está ficando cada vez mais "exigente" conosco, comigo, contigo e com todos os que estão ficando "enfadados" com tantas informações!
Desculpe se me excedi aqui em seu sagrado espaço, mas é assim não é mesmo?
Abraços,
Sua também amiga,
Ivone

Kellen Bittencourt disse...

Uau, muito bacana, falar o que? Parabéns? Óbvio demais!
Digo então, Fantástico, uma reflexão poética a cerca do cotidiano virtual! ADorei! Abraços!

Arnoldo Pimentel disse...

Muito bom seu texto, é o progresso e a tecnologia.Parabéns.

Estou sendo entrevistado no blog da Anne Lieri, se puder faça uma visita e conheça um pouco do meu trabalho, desde já lhe agradeço, link abaixo

http://recantodosautores.blogspot.com/2012/02/recanto-entrevista-arnoldo-pimentel.html

LUZ disse...

Olá querido António,

Li seu inteligente, bem estruturado e melhor pensado texto.
O mundo virtual é já uma realidade, quer a aceitemos ou não.
Veja, você e eu nem nos comhecemos e somos tão amigos, tão próximos.
Parece que, quando um está ausente mais de 4/5 dias, algo nos falta. Não sente o mesmo?
É evidente, que nada substitui o presencial, o cotidiano, a presença, a voz e o olhar, mas essas coisas quase já se têm com os spykes, e afins.
É estar longe e perto.
A solidão tem sido apaziguada com a NET, em muitos casos. Claro, que noutros gera abismos de infelicidade.

O mundo está em constante mutação, sem dúvida.

Lhe agradeço, de todo o coração o bonito e elogioso soneto, que deixou em meu blog.

Boa semana.
Beijos de muitta luz.

LUZ disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Os Tavernistas disse...

Obrigado pelo carinho e pela deferência, belo texto.

Evoé!

Bardo disse...

Obrigado pelo carinho e pela deferência.

Evoé!

Van disse...

Jamais será ultrapassada e obsoleta, nenhuma tecnologia superará a vida o que temos de nos dar a ela.

Beijos, Antonio

Sonhadora disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Olinda Melo disse...

Caro Antônio

Poema reflexivo com várias vertentes, chamando-nos a atenção para circunstâncias do dia-a-dia que vão entrando nas vossas vidas fazendo parte dela, quase sem darmos por isso. Lembrarmo-nos de que somos todos pó aplacará a nossa vaidade, e reprimindo o olhar narcísico poderá fazer com que olhemos mais para os outros e procuremos compreender-nos e afastar a solidão de tantos. A tecnologia já quase nos domina, se por um lado, pode aproximar as pessoas, o seu uso desmedido poderá fazer com que junto a nós as pessoas sejam desvalorizadas no relacionamento quotidiano.

Tudo na vida, realmente, requer um certo doseamento, equilíbrio, pondo tudo os pratos de uma balança e ver o que para nós e os nossos semelhantes é mais importante.

Muito obrigada pela sua presença no xailedeseda e pelas suas palavras sempre sábias e gentis.

Grande abraço

Olinda

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

"Ou serão esses procedimentos,
Uma tecnologia humana,
Ultrapassada e obsoleta?" A vida lá fora, a convivência fraterna, sincera, os afetos, o dar...o receber parecem sim, amigo, uma tecnologia ultrapassada e absoleta. Estamos a desperdiçar o melhor da vida e o tempo não se compadece; quando dermos por isso já pode ser tarde demais. Uso o computador, sim, o blog abriu-me os horizontes, enriqueceu-me muito, mas não o troco por uma conversa com um bom amigo na mesa de um café; os afetos para mim continuam a ser fundamentais. Mas...parece que houve entre nós uma sintonia muito agradável, pois o meu post no Começar de Novo fala precisamente do mesmo tema. Dois homens sábios falaram desta questão de uma maneira muito bela. Um beijinho, amigo e fica bem! Até breve.
Emília

Sonhadora disse...

Meu querido

A virtualidade ainda tem alguma coisa boa...a amizade que se sente por pessoas que nem se conhecem, mas que passam a preocupar-se umas com as outras.
Como sempre ler-te é absorver a tua alma.

Beijinho com carinho
Sonhadora

Estou a ser homenageada aqui:
http://nuestramizade.blogspot.com/

M@ria & M@ria disse...

Pra você!
Um ramalhete
Com rosas e alecrim
Nele, fitas de afetos
Em laços de bem querer,
Um sorriso em cada pétala
Um bilhete de paz
Pra tua vida ...
E um pedido!
Jamais se esqueça de mim

¬Sirlei L. Passolongo¬

Beijos e meu carinho sempre...M@ria

LUCONI disse...

Ah meu amigo, isto é bem verdade, nos escondemos aqui atrás da tela, é tão fácil falar, pregar, mas tão difícil dar a cara a tapa e exemplificar não é?
Trabalho mediunicamente a quarenta anos, e muitos me disseram que eram espíritas mas preferiam apenas estudar e ouvir as pregações e eu respondia, não se pratica o amor ao próximo em bibliotecas, isto até a quatro anos atrás quando o acidente me limitou bastante, então voltei-me para as psicografias que eu praticava de vez em quando, e vim parar atrás da telinha então comecei a escrever meus textos, mas preferia mil vezes quando estava em campo me sentia muito mais útil, parabéns pelo excelente texto, beijos Luconi

Amor feito Poesia disse...

"Asa no espaço, vai pensamento!
Na noite azul, minha alma, flutua!
Quero voar no braços do vento,
quero vogar nos barcos da Lua!

Fernanda de Castro

Feliz dia...Beijos & Flores! M@ria

ONG ALERTA disse...

Equilibrio é sabedoria...
Abraço Lisette.

Imagem e Poesia disse...

Muito bom escrito, amigo.
Gosto deste seu cantinho...
Beijo
Ceiça

. intemporal . disse...

.

.

. a.pesar dos pesares . ou talvez não . são lufadas de ar fresco as palavras que [sempre] leio . aqui .

.

. um abraço .

.

.

Flor de Jasmim disse...

Antônio
Gostei imenso!
A virtualidade pode ser algo de importante desde que as pessoas a saibam usar, por vezes deixam as coisas boas da vida que se pode viver pela tecnologia.

Beijinho e uma flor

Magia da Inês disse...

A vida é o verdadeiro tesouro... o resto é o resto!...
Bom fim de semana!
Beijinhos.
Brasil

(⁀‵⁀,) ✿
.`⋎´✿✿¸.•°
✿¸.

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Caro amigo

Preciosas reflexões

Penso que ao
se pensar a vida,
já estamos no
correto caminho
para não perdê-la.


Que sempre existam
sonhos a habitar teu coração.

TITA disse...

Que sejamos capazes de discernir...onde está a vida.Belo texto meu amigo.Profundo e inquietante.Um abraço.

Sandra Mitsue disse...

Olá Antonio...
Verdade...Devemos tomar cuidado de distinguir a vida real da vurtual...Parabéns pelo post...Ótima reflexão sobre a vida moderna...Ótimo feriado.descansando ou divertindo aroveite bem o carnaval
Beijos!
San...

O Árabe disse...

E que bela inspiração, meu irmão! Eis algumas das nossas mais contundentes perguntas e realidades, expressas na mais pura poesia. Meu abraço, boa semana!

LUZ disse...

Olá estimado amigo António,

Tudo bem com você?
Tenho estranhado sua visita e comentário, também.
Algum problema, querido amigo?

Bom Carnaval.
Beijos de muito afecto e luz.