segunda-feira, março 12, 2012

Memórias de um Futuro


Em cada rio que seca
Em cada árvore arrancada
Em cada canto da serra
É a mata que agoniza

Em cada perfuração
No leito do mar sereno
Na mesa de um altar
Um corpo é oferenda

Quando o sol doer nas costas
Do homem sem direção
Quando se derem por conta
Da vida se lembrarão

Enquanto o tempo não vem
Nem chega o holocausto
A vida acaba aos poucos
Na areia do mar exausto

A terra, os campos, o céu
Sustém os sonhos febris
Delírios de um capital
Tornando alguém feliz

Enquanto o tempo não chega
Nem chega o fogo do sol
Solenemente aguardam
Concreto, cinza, e seol*...

*A palavra seol, de origem desconhecida, inspirava terror, mas não correspondia a uma noção muito definida. Significa a vida reduzida e silenciosa, sem qualquer relação com Deus, vivida pelos mortos condenados por seu comportamento na terra. Este lugar de permanência situar-se-ia nas profundezas da terra, onde os mortos descem para uma triste sobrevivência. Seu sofrimento é descrito como irremediável e como uma privação de tudo o que evoca, simbolicamente, a luz do sol. Seol e Hades significam sepultura em grego e em hebraico, portanto é a mesma coisa.


15 comentários:

Santa Cruz disse...

Amigo António: Lindas memórias de um futuro, gostei
Um abraço.
Santa Cruz

♫*Isa Mar disse...

Oi amigo, um profundo poema de conscientização pra muitos, cuidar da natureza devia ser prioridade pra todos que habitam essa terra.
Beijos e boa semana!

Multiolhares disse...

porque será que onde o homem põe a mão destroi, tudo lhe é dado pela natureza sem nada pedir o mais belo acto de amor.
bjs

marlene disse...

lindo meu amigo poeta versos em defesa da natureza da vida e existensia adorei ler por aqui um abraço boa semana bjs marlene

Ivone Poemas disse...

Hades é o inferno no conceito cristão e Tártaro na mitologia grega!
Eu adoro mitologia grega!
Lindo teu poema, como todos, muito reflexivo, pois é amigo, a vida sempre ameaçada, que fazer?
Ainda bem que tem poetas como você, nos faz bem!
Abraços
Ivone

ValeriaC disse...

Intenso poema meu querido amigo...o homem tem que se conscientizar de tantas coisas que vem fazendo, pois caso contrário, no futuro, de nada vai adiantar se arrepender e lamentar, será tarde demais.
Que seja de paz sua semana, beijinhos
Valéria

Olinda Melo disse...

Meu amigo

Boa noite

Esperemos que a descida ao Hades não se concretize. Para isso teremos de tomar consciência de como é belo o nosso Planeta e que temos de o preservar para o nosso próprio bem.

Caro poeta, um poema cheio de significado para todos os que amam a natureza e a defendam. Um poema oportuno e belo.

Abraço

Olinda

Toninhobira disse...

Perfeita visualização,que me fez lembrar Inacio de Loyola Brandão sobre a cidade de São Paulo.
Criativo e com reflexão otima.
Meu abraço e bela semana de paz e luz.

O Árabe disse...

Bela poesia, meu irmão... o que de forma alguma é novidade! Meu abraço, boa semana. Salam Aleikum!

Celina disse...

Oi amigo , boa tarde poesia bem orignal, gostei, com ela vc faz previsões, do jeito que as coisas estão acontecendo, nós ficamos sempre aguardando algo. um abraço fraterno Celina

Evanir disse...

Querido Amigo.
Quanta coisa linda nesse poema só falta atitude para não terminar tudo em destruição a natureza e o planeta.
Amo vir no seu blog converso muito com a Luconi somos amigas agora na vida real.
E falamos da beleza dos seus poemas e do carinho que tem com todos que passa aqui.
Um abraço meu amigo.
evanir.

Flor de Jasmim disse...

Antônio meu amigo
Muito profundas estas suas palavras que descrevem bem a destruição pela mão do homem à mãe natureza.

Beijinho e uma flor

Mada disse...

Gostei António, um alertar de consciências adormecias em forma de Poema. Abraço. Mada

LUZ disse...

Bom dia querido António,

Tudo bem com você?
Tenho sentido sua falta, sabia?
já não gosta de mim? Bom, do que escrevo, pouco importa, ai, mas de mim!

Poema, de características populares, bem profundo e realista, demais.
Esperemos, que o CRIADOR, ponha SUA MÃO, a tempo.

Beijos de muita luz.

LUCONI disse...

Amigo, aproveitando a noite de sábado e lendo alguns de teus poemas, este tem que ser comentado, menino um poema que é um aviso, um grito de alerta, a necessidade de uma conscientização, dos verdadeiros valores, pois estes que aí estão de nada valerão quando a vida do planeta se extinguir, bravos beijos Luconi