sábado, julho 21, 2012

Comunhão Bendita


Este teu Amor puro jamais vacila,
No teu Ser sempiterno e Augusto.
Trazes consigo com flores e a vida,
Teu Ser amoroso, singelo e justo!

Vieste com os santos óleos do amor,
Vieste n’alma os meus lábios ungindo.
Vieste em Luz, em beleza, esplendor,
Com tua amizade minh’alma cingindo.

É o grande desejo, profundo imenso,
Que as tuas mãos pueris, cravejadas;
Trazem com a mirra, ouro e incenso,
Relíquias dum afeto, sutis e sagradas!

Mãos que eu amo na imensa distância,
São mãos que estendem à Paz, alegria!
Onde aconchegam em doce fragrância,
Minh’alma cansada em pura harmonia!


sábado, julho 14, 2012

Provarei dos teus Segredos


Mas que corpo gracioso e cheio de esplendor!
Pois nele vagam os meus sonhos fascinadores,
Concebidos na beleza de seu jardim, de sua flor,
Com todos estes desejos, vulgares e pecadores.

Seu corpo adornado, gracioso, são os devaneios!
São todos os sonhos, de um amor extravagante.
Ó, lábios! Ó frutos maduros! E estes lindos seios,
Que tanto aguçam minh’alma, faminta e delirante...

E já disserem que tua flor, de pétalas viçosas,
Suave como veludo, desperta Santos Desejos?
E que esta tua boca sensual, rosa como as rosas,
Sugere divinamente, os mais profundos beijos?

Ah, como tens os lábios mais bonitos e carnudos!
Lábios viçosos, da volúpia ardente, e tão rosados!
E teus seios dos deleites carnais, angélicos e puros?
-São frutos da sedução felina, gostosos e depravados!

Não sei se há fruto tentador, sublime, e apetitoso,
Nesta visão, aonde eu, e em êxtase sonhando,
Em teu corpo fremente, acolhedor, miraculoso,
Lanço-me de cabeça, em amor tantalizando...

Como néctar, provarei de tua flor, rósea, aveludada.
Flor de aromas, das fragrâncias, deste meu devaneio!
Em minh’alma, com seus aromas, que de ti agraciada,
E com os versos finais, deste amor que tanto anseio!


*Imagem: Conto Erótico, Vladimir Kush



domingo, julho 08, 2012

Gênesis - A Partícula de Deus


No princípio era o Todo
Manifesto no Tudo.
A semente era lançada;
Palavra do Verbo Divino.
Regada, rompia-se,
Rasgava-se,
Em formas abstratas.

Era obra do trabalho
Da engenharia absoluta
Obra dum Artista
Erigido nos confins do nada.

Dos sentimentos profundos,
Era o “Sopro Divino”
-Era a Doce Dádiva.

No princípio das Eras
Era ela, a Palavra
Filha do Amor Primeiro
Da matéria prima
Absoluta e necessária.

Misturada aos elementos
Dessa receita divina
Sacrossanta e pura
Surgia a essência elementar
Princípio de nossa aventura.






domingo, julho 01, 2012

Menos Eu

Eu,
Detestando quem difere de mim.
Eu, tão cheio de ego,
Eu, e meu coração.
Eu, gritando bem alto:
Separação!

Eu, você, nós, e os preconceitos,
Que carrego no peito,
Tamanha ostentação.
E na alma eleito,
Junto com arrogância,
Sem essa de “nosso irmão”!

Ah... mas e quando tudo acabar?
E se o mundo acabar amanhã?
Se o além é o nosso destino,
O que de mim restará?

-Renascerei noutra esfera!
Ou quem sabe noutro canto da terra,
Onde meu Eu seja sempre,
O mote a me exaltar!

Este meu ser altivo, orgulhoso,
Vaga pelo infinito,
No olhar de quem subjulga...
De quem vive a alcançar as estrelas...

Neimar de Barros nasceu em Corumbá, Mato Grosso do Sul e foi muito conhecido como produtor de televisão da equipe de Senor Abravanel (Silvio Santos). Até o início da década de 1970, criou e produziu vários programas de grande audiência, como Cidade contra Cidade, Boa Noite Cinderela, entre outros. Em 1971 foi convidado a participar de um encontro dentro da Igreja Católica, na época chamado de cursílio. Como ateu, ele aceitou desafiar o convite dizendo que só acreditava no que podia ver. No terceiro e último dia, depois de ter incomodado o encontro, foi desafiado a ir pra capela. Lá, sentiu uma forte necessidade em ajoelhar-se, uma grande emoção o tomou e ali naquela hora aconteceu o início de sua conversão.
Mais tarde tornou-se famoso como escritor de livros religiosos, onde destacou-se o best-seller Deus Negro, que vendeu mais de 4 milhões de exemplares. Em 1975 contraiu uma tuberculose e foi aconselhado a se tratar em Campos do Jordão, onde posteriormente resolveu residir por 11 anos. Lá fundou o Instituto M.E.A.C., missionários para evangelização e animação de comunidades, sendo o principal pregador, e durante 14 anos desenvolveu um trabalho missionário dando cursos e palestras em mais de quatro mil cidades. Publicou mais de 10 livros, sendo vários em espanhol. Chegou uma fase ruim em sua vida, e como um ser humano normal teve várias desilusões culminando numa profunda crise, associado ao estresse do trabalho e sua separação no casamento, o que potencializou ainda mais o seu estado emocional e o despertar de uma doença neurológica descoberta 18 anos mais tarde, o Mal de Alzheimer.
Anos depois reapareceu na equipe do programa televisivo de Silvio Santos, trabalhando como produtor.
Neimar de Barros faleceu no dia 06/05/2012 e deixou um exemplo de que todos nós somos errantes, falhos e que muitas vezes acertamos e fracassamos, mas que, no entanto devemos perdoar sempre que possível nossos desafetos.


Minha singela homenagem ao poeta e escritor Neimar de Barros, e sua obra prima Deus Negro.