terça-feira, janeiro 10, 2012

A Velhice e Alguns Versos



Escrevendo

No transcorrer da escrita,
Onde fluem meus enredos,
Das glórias, inglórias,
Dúvidas, medo...
E na ilusão da vida,
Vivo um sofrimento.
No restante do espaço em branco,
São lágrimas molhando...


O Ancião

Ingratidão, desprezo e indiferença.
Sofre agora um homem idoso...
Relegado ao esquecimento num quarto
O velho vive assim de teimoso...

Quando não internado num asilo,
Por todos se torna um estorvo!
Os filhos que deviam amá-lo,
Pra eles se torna um louco!

Contudo, o velho,
Quando mais novo serviu!
Ao filho levou-lhe nas costas
A mãe carregou-lhe no ventre
Ainda no colo também.

Hoje, diz o filho raivoso:
-Está fazendo hora extra aqui,
Esse insano, infeliz e desditoso!


A Velhice

No cerne profundo e trôpego da memória
Carregas uma saudade e tantas nostalgias
Que adormecida na sombra da tua história
De noites tantas, de tantas quanto os dias...

Mas o inconsciente te consome e anestesia
Com os sentimentos febris e amordaçados
Mas tu'alma, te revolve, te enfada e alivia
Nas ilusões dos teus sonhos já findados...

Anatomia das recordações e das labutas
Que subtrai o cancro latente d’amargura,
Dolorosa via, mãos dolorosas, impolutas...

Fizeste da memória um precioso relicário
Florescendo no corpo da tua desventura,
Quer nos prantos, nos soluços, e no velário...


O desejo que as pessoas nutrem em ser jovens para sempre está arraigado desde tempos imemoriais.
A lenda da fonte da juventude ainda hoje faz parte dos contos de fada e histórias, passados de pais para filhos.
Atualmente os recursos materiais para manter uma jovialidade, dita moda em toda sociedade, e principalmente a Ocidental.
A aversão à velhice faz com que ela seja encarada com medos e temores, e faz com que não valorizemos o que de mais precioso há nisso.
A velhice, porém, traz um encanto e uma beleza que para muitos é difícil contemplar, por conta da degeneração ou decrepitude própria da matéria carnal.
Essa beleza é trazida ao longo de uma existência, na forma de sabedoria e experiência de vida.
Ser idoso confere a pessoa, um respeito por ter pela vida passado, com lutas, dificuldades e sofrimentos.
Desde seu nascimento até seu último momento, conseguiu o idoso passar pelas etapas mais difíceis.
No Oriente há toda uma cultura voltada a reverenciá-los e isso é muito louvável e digno.
Oxalá que possamos usufruir desse sentimento tão nobre.