domingo, janeiro 22, 2012

Flores Doutra Primavera


As flores que no auge do esplendor
No perfume, na beleza e sentimento
Que na alegria, na tristeza e na dor
Vêm agora evocar um sofrimento...

Tristes versos, de ternura e de paixão
Feito ornatos de uma carta de amor
São os votos consagrados ao coração
Com as rosas e um poema sofredor...

Assim choro, nessa tal melancolia
De poemas que verti aqui na alma
Do amor que por ti me comprazia...

De palavras que levadas pelo vento
Das escritas acolhidas numa carta
E as flores que murcharam certo dia...