domingo, fevereiro 26, 2012

Inefável Desejo


Teu corpo sensual dos mistérios, da paixão,
Acende uma chama cintilante e um coração...
Esta forma curvilínea, sedutora e soberana,
De fremente sensação e de púrpura romana;
Exibe uma beleza mas também a nostalgia,
Dos mistérios de amor, solidão, melancolia...

Teu perfil revela a alma vaporosa dos desejos,
De um enlevo pueril, gracioso dos teus jeitos;
Que tu, rosa delicada, sedutora das quimeras,
Exala em aromas, doutros mares, doutras eras!
E para sentir o teu perfume, teus quebrantos,
As rosas para mim são martírios, são encantos!

Pois espiritualizei nos sonhos mais distantes,
Dos astros, dos sóis, das estrelas fulgurantes;
Toda esta dor que em minh’alma ora clama!
Dolorosa sensação, que por ela se derrama,
Por querer ver-te para mim, um Fado cantando,
Fosse no céu, na terra, ou numa estrela cintilando...

Mas quanto ao Amor, dos sublimes inefáveis,
Que as centelhas, transcendentes, insondáveis;
Em tu’alma apagar-se como apaga uma chama,
E esmorecer como voz que não vibra, não proclama;
Terás ascendido aos outros céus sublimes localizados,
Em meus sonhos inspiradores, duma Luz, eternizados!