quarta-feira, abril 11, 2012

Inspiração


A inspiração iluminada destes clamores,
Minha doce ilusão de tão gentil quimera,
Vem adocicar esta vida sem primavera
Como um bálsamo p’ra todas as dores!

Mas ao adentrar n’alma esta inspiração,
Escrevo sobre um amor que tanto apraz,
Como uma transubstanciação que me faz
Querer te amar e numa louca afeição!

Como a luz guiadora veio esta inspiração,
Que para amenizar ainda trouxe suas flores
E canta minhas dores ao ritmo do coração,

Pois quanto mais por ele e nele me inspiro,
E quanto mais penso viver deste amor,
Penso que é este amor, como Ar que respiro!