domingo, maio 06, 2012

Sagrado Coração


O virtuosíssimo coração desta poetisa,
Cujo anseio ardoroso, vaga pelo seio;
É alma pura, florescente em que veio,
Da terra fértil que é sua alma de artista.

Voz murmurante, incógnita das grutas,
Hinos de amor, de nostálgica tristeza!
Voz que ecoa, com ternura e singeleza,
Como as flores, tão sublimes, augustas!

Que as rosas sejam sempre teu querer!
Que fecundem em perfume inebriante,
Como a graça de uma estrela radiante,
E que abunde em sua alma o alvorecer!

Desça sobre ti a inspiração palpitante,
Poetisa que neste melancólico exílio;
Alma cantante, e fadista de um idílio,
Mas agora, tão feliz, serena e radiante!

Nesta inspiração, plena e abundante
Que em tuas letras a alma transparece,
São teus prantos que de Deus parece,
O Sagrado Amor, coração apaixonante!




Fiquei extasiado, e como que arrebatado a um distante rincão imaginário, onde pintei em minha mente um quadro de paz, de silêncio, de mar e onde a natureza do espírito prevalecia.
Isto tudo é o que consegui expressar quando ouvi pela primeira vez essa voz serena, doce, suave e distante, desta cantora portuguesa.
Sem sombra de dúvidas, e em minha opinião, depois de Amália Rodrigues, Portugal é agraciado com vozes brilhantes!
Tanto a fadista Mariza quanto o Grupo Madredeus transcendem! Transcedeu em minh'alma esta canção, ao ponto de me levar a compor Sagrado Coração.