domingo, julho 01, 2012

Menos Eu

Eu,
Detestando quem difere de mim.
Eu, tão cheio de ego,
Eu, e meu coração.
Eu, gritando bem alto:
Separação!

Eu, você, nós, e os preconceitos,
Que carrego no peito,
Tamanha ostentação.
E na alma eleito,
Junto com arrogância,
Sem essa de “nosso irmão”!

Ah... mas e quando tudo acabar?
E se o mundo acabar amanhã?
Se o além é o nosso destino,
O que de mim restará?

-Renascerei noutra esfera!
Ou quem sabe noutro canto da terra,
Onde meu Eu seja sempre,
O mote a me exaltar!

Este meu ser altivo, orgulhoso,
Vaga pelo infinito,
No olhar de quem subjulga...
De quem vive a alcançar as estrelas...

Neimar de Barros nasceu em Corumbá, Mato Grosso do Sul e foi muito conhecido como produtor de televisão da equipe de Senor Abravanel (Silvio Santos). Até o início da década de 1970, criou e produziu vários programas de grande audiência, como Cidade contra Cidade, Boa Noite Cinderela, entre outros. Em 1971 foi convidado a participar de um encontro dentro da Igreja Católica, na época chamado de cursílio. Como ateu, ele aceitou desafiar o convite dizendo que só acreditava no que podia ver. No terceiro e último dia, depois de ter incomodado o encontro, foi desafiado a ir pra capela. Lá, sentiu uma forte necessidade em ajoelhar-se, uma grande emoção o tomou e ali naquela hora aconteceu o início de sua conversão.
Mais tarde tornou-se famoso como escritor de livros religiosos, onde destacou-se o best-seller Deus Negro, que vendeu mais de 4 milhões de exemplares. Em 1975 contraiu uma tuberculose e foi aconselhado a se tratar em Campos do Jordão, onde posteriormente resolveu residir por 11 anos. Lá fundou o Instituto M.E.A.C., missionários para evangelização e animação de comunidades, sendo o principal pregador, e durante 14 anos desenvolveu um trabalho missionário dando cursos e palestras em mais de quatro mil cidades. Publicou mais de 10 livros, sendo vários em espanhol. Chegou uma fase ruim em sua vida, e como um ser humano normal teve várias desilusões culminando numa profunda crise, associado ao estresse do trabalho e sua separação no casamento, o que potencializou ainda mais o seu estado emocional e o despertar de uma doença neurológica descoberta 18 anos mais tarde, o Mal de Alzheimer.
Anos depois reapareceu na equipe do programa televisivo de Silvio Santos, trabalhando como produtor.
Neimar de Barros faleceu no dia 06/05/2012 e deixou um exemplo de que todos nós somos errantes, falhos e que muitas vezes acertamos e fracassamos, mas que, no entanto devemos perdoar sempre que possível nossos desafetos.


Minha singela homenagem ao poeta e escritor Neimar de Barros, e sua obra prima Deus Negro.