sábado, julho 21, 2012

Comunhão Bendita


Este teu Amor puro jamais vacila,
No teu Ser sempiterno e Augusto.
Trazes consigo com flores e a vida,
Teu Ser amoroso, singelo e justo!

Vieste com os santos óleos do amor,
Vieste n’alma os meus lábios ungindo.
Vieste em Luz, em beleza, esplendor,
Com tua amizade minh’alma cingindo.

É o grande desejo, profundo imenso,
Que as tuas mãos pueris, cravejadas;
Trazem com a mirra, ouro e incenso,
Relíquias dum afeto, sutis e sagradas!

Mãos que eu amo na imensa distância,
São mãos que estendem à Paz, alegria!
Onde aconchegam em doce fragrância,
Minh’alma cansada em pura harmonia!