sábado, agosto 11, 2012

Antes de Qualquer Coisa...


Pai...

Antes que cale minha voz
Quero a ti confessar...
Que nunca é tarde demais
Um beijo, um abraço lhe dar!

Não quero deixar um segundo,
Perder-se sem nada falar...

E antes que o dia acabe
Quero um nó apertado,
De minh’alma p’ra sempre livrar...
E desate, com todos os prantos
P’ra minh’alma contigo estar...

E se a ti eu hoje abraçar,
E dizer o quanto te amo
Mesmo que as diferenças;
Venha a nos separar,

Que seja esse dia então,
O mais puro ou mais terno do ano!
E que este nó preso em minha garganta
Desate num pranto sereno,
Para a alma quem sabe lavar...