terça-feira, setembro 04, 2012

Fruto da Alma


Nesta fria tarde, ao som duma Ave-Maria,
O badalar dos sinos, parece uma canção.
Um canto choroso, e uma triste desolação,
Sussurra nesta alma, saudosa melancolia!

Senti tua ausência, e que tanto me acalentou,
Nas letras do poema e o amor que não morreu.
Agora com a lembrança do amor que foi só teu,
E uma lágrima vertida por quem tanto te amou.

Hoje esta tarde desperta um sofrimento,
Trazendo um dissabor, agora este lamento;
E esta Ave-Maria parecendo triste cortejo!

Chegara n’alma, enfim, este dia indesejado,
Um sonho interrompido, fim de nosso legado;
Aquilo que nos uniu, e fruto de nosso desejo!



*Virgínia - Pintura de Miguel Avataneo