quarta-feira, outubro 17, 2012

*Amor Surreal - Nas Bênçãos do Céu



Eis que um amor abrasador nos aguarda...
Com todos os ardores n’alma a crepitar;
Estamos em um delírio e alma extasiada,
Apenas a solidão, e o céu a contemplar;
Mais as estrelas, com uma lua adornada,
E este momento raro, de sonho realizar!

                    Tu, ó minha flor, minha dama enamorada,
                    Alimento da minha carne, e meus amores!
                    Ao som das cítaras e desta noite almejada,
                    Carrega em tu’alma, a chama e os fulgores;
                    Um amor delicioso, singelo na madrugada,
                    E todos os encantos, balsâmicos das flores!

Eis então, como a virgem do conto de fada!
As mãos junto ao peito fazendo uma prece.
Esta flor dos devaneios parece amargurada...
Para que sofrer, se este amor nos apetece?
Nada vai nos separar, linda flor dilacerada!
Para que sofrer, se este amor nunca perece?

                      Anjo da volúpia, graciosa, doce contemplação!
                      Vieste na transparência, de fina veste delicada,
                      Com tuas curvas languidas, imagem de sedução!
                      Cúmplices, e embriagados de amor, estávamos;
                      Carnal volúpia! Ruidosos, sôfregos, de paixão.
                      Com almas sedentas, ao céu juntos entrávamos!



*Do que o Amor não é capaz?

 Imagem: Arthur  Berzinsh
http://caraslegais.wordpress.com/2012/09/27/amor-surreal-de-arthur-berzinsh/