quarta-feira, março 27, 2013

Travessia para Liberdade


Foi um dia, em que meu corpo dilacerado
Com a alma palpitante com os desalentos
Trazia tristezas dos ais de um amargurado
Trazia os soluços, as dores e os tormentos

Foram os suplícios nas dores que amarguei,
De palpitações e avassaladores sentimentos
Dos tormentos e das lágrimas que derramei,
Das ânsias nascidas, dos meus sofrimentos!


Mas nos acordes das luzes angélicas, radiantes
Trago no coração as marcas de outrora; dantes
E as preces insondáveis de tu’alma a murmurar
Não é, no entanto, em final de morte horrenda
E tão atroz e derradeira; tão gélida e tremenda
Que na dor das despedidas o Amor há de findar!




quinta-feira, março 21, 2013

Berço Enlameado



Pranteio aqui, a dor do meu semelhante...
Daqui do alto, a Natureza, escuto!
Este berço esplêndido é caos absoluto,
Gigante ferido, glorioso, retumbante!

A terra em agonia, febril e delirante,
É a Natureza, por quem eu tanto luto!
Berço dos filhos, na paz do sono justo,
Da inocência, do incauto, do infante!

Em seus leitos, agitam-se os filhos,
Choramingando em dores e delírios,
Pedindo ao Pai, talvez um querubim...

Vejo daqui, com a alma angustiada,
Outras almas, nesta terra enlutada!
Perecem os sonhos, acabou-se, é fim...


Amigos, a história se repete...
No país repete-se uma história sem graça.
Desgraça! Dói na alma ver as tragédias anunciadas se materializando a nossa volta.
Por mais anunciadas que sejam, os órgãos competentes continuam na mesmice da surdez, da cegueira e da omissão, para não falar da corrupção, que, esta sim, desgraça cada vez mais...
Para completar a tragédia, o pranto de mães, pais, avós e de toda família, parece não sensibilizar, muito menos acordar este governo que peca em não aplicar leis exemplares, para aqueles que não dão a mínima para as vidas. Vidas ceifadas covardemente.
Repito: não há PREOCUPAÇÃO por parte das autoridades em primar pelo zelo, e a segurança de seus cidadãos.
O caso mais emblemático, cruel, mortal e fatídico, ocorrido em uma boate em Santa Maria, no Rio Grande é o último...
Quem arrisca dizer que não se repetirá noutros cantos deste país?
Quantos Joelmas, quantos Bateau Mouche, quantas discotecas ainda serão sinistradas por falta de cuidado e fiscalização?
Uma coleção de derrotas e mui dolorosas, assolam este país...
Não basta a fúria da Natureza, que quando não é com chuvas torrenciais, é com secas catastróficas.
Porém a Natureza é mais justa que os homens!
Sim, Mãe Natureza cumpre seu papel...
Enquanto isso, no Planalto Central, a arrogância, a ditadura de vaidades, a presunção, as falcatruas, a soberba, e o pouco caso para com o clamor da sociedade, vão fazendo sua destruição!
Destruindo almas, sonhos, autoestima, cidadania, esperança...




domingo, março 10, 2013

Divino Encanto


Gostaria de dizer algo sobre mulheres que sofrem, e são agredidas física e verbalmente em seus lares, muitas levadas a óbito por quem deveria amar e ser companheiro...
Não é assim.
É muito triste estes momentos...
Então, optei por homenageá-las assim:


Quando teu amor das formas inefáveis,
Fenecer, em tuas veias para sempre;
Quando os brilhos teus, límpidos, amáveis,
Esmorecerem para o céu eternamente,

Quem sabe, feito angélica doçura,
Alma Santa, encantadora, graciosa;
Rosa de Sarom, de Cântico, ternura,
E com a beleza, serena e dolorosa,

Fará com que, relembre esta beleza,
Com as rosas, as flores e a certeza,
Neste êxtase, de místico recanto...

Procuro ainda teu amor, dilacerado,
Contudo, com o espírito enlevado,
No silencio doloroso deste encanto...