domingo, junho 09, 2013

Separação



Os humanos criaram barreiras
Do separatismo...
Separam animais em jaulas e gaiolas;
Separam homens de homens.
Separam mulheres, crianças, idosos,
Enfermos, loucos e delinquentes...

Atribuem a tudo uma causa,
E por categoria separam.
Separam por classe, raça ou religião...
Os racistas querem isolamento.
Os religiosos querem somente eles,
Viver em separação...

Outros por causa disso,
Lutam, matam e morrem,
Em nome da exclusão.
Separam pessoas por sexo,
E ainda por opção.

Separam pela idade, 
Altura, peso e cor,
Por causa de sua moda, 
Ditada pelo cifrão.
Separam pela cultura.
Separam pelos costumes;
Por grau de escolaridade,
E ainda por profissão.

Separam por descendência,
Os filhos doutra nação.
Separam com toda certeza,
E ainda por adoção.

Separam por diferença,
E no auge do preconceito,
Só querem separação.
Separam tanto os humanos,

Que um dia se pararão...


11 comentários:

Maria Rodrigues disse...

A alma sensivel do poeta num poema que toca o nosso coração. Uma triste e dolorosa realidade.
Beijinhos
Maria

Flor de Jasmim disse...

Antônio o teu poema é a pura e triste realidade que me deixou num silêncio, de nó na garganta e as lágrimas caêm-me!

Boa semana meu amigo

beijinho e uma flor

Diácono Gomes Santa Cruz disse...

Amigo: Gostei de ler o teu poema, mas para mim o que descreveste é uma triste e pura realidade que infelizmente ainda existe nos dias de Hoje, essas atrocidades já não deviam existir há seculos, e o que me revolta mais a que essas coisas são feitas por seres humanos, como eles.
Um abraço
Santa Cruz

Celina disse...

É isso mesmo Antonio, e uma pena que o mundo foi e sempre assim vai continuar , a começar pelas relígiões, homens se matam em nome de Deus, o rico ver no pobre um inimigo, sem falar nos preconceitos. muito boa a tua poesia, falasse nela tudo que temos vontade de dizer, de uma forma elegante e bonita , parabéns. Um abraço fraterno amigo. Celina

helia disse...

Um excelente Poema que descreve uma dura e triste realidade da vida !

Olinda Melo disse...


Meu caro amigo

O seu poema toca no âmago dos problemas que separam o ser humano. Discriminações e injustiças que nos envergonham.Infelizmente, a evolução e progresso de que tanto se fala não acompanham a elevação de sentimentos de que todos, em qualquer recanto da Terra, devíamos dar mostras. Mas esperemos, tenhamos esperança de que as coisas mudem...

Um grande abraço

Olinda

Toninho disse...

Dura realidade amigo.
Esqueceram das pontes.
Os muros proliferam por todos os lados e angulos.
Belo grito e criatividade.
Um abração.

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

Em forma de poesia falaste no que de mais horrivel tem o ser humano, a sua falta de respeito pelo seu semelhante. Somos individuos e portanto todos diferentes; numa mesma raça não há uma pessoa igual, nem sequer numa mesma família,por isso há que meter na cabeça que no mundo existem simplesmente SERES HUMANOS todos diferentes na sua individualidade. Por isso admiro tanto Nelson Mandela ( homenagem no Começar de Novo ) e todos aqueles que lutaram e lutam para que páre essa separação. Ao teu clamor, junto o meu, amigo, pois abomino discriminação.Um beijinho e obrigada!
Emília

MARILENE disse...

Separam o que nasceu em igualdade. Separam sem perceber que só a união salvará a humanidade. Bjs.

Luconi Marcia Maria disse...

Amigo este eu não tinha lido e realmente está perfeito, o ser humano não respeita o diferente que na verdade não é diferente, porque se assim fosse todos nós somos únicos e diferentes de todos, ah como esquecem do amar ao próximo, como são egoístas, e eu não deveria escrever na terceira pessoa, porque afinal faço parte desta humanidade desumana então o certo seria a segunda pessoa plural, porque entre infinitas diferenças temos todos uma igualdade em maior ou menor intensidade o desamor ao próximo, beijos e parabéns

elza aires disse...

hospedagem de sites