domingo, abril 28, 2013

Brisas Mensageiras



Preciso entender as brisas
Que diante do meu caminho
Falam de flores que não compreendo...
Não sei se é a surdez, ou ignorância,
De um poeta fingidor...

São brisas mensageiras
Quais setas vindas do céu
Ainda que de amor
Ainda que para falar
Com tanta sublimação...

Brisas ecoam em minh’alma
Como querendo avisar,
Falam então aos ouvidos
Que é hora dos sonhos parar!

Preciso agora entender
Que é hora de um rumo seguir
Talvez nas águas d’outra esfera
Nas letras de outro poema
E um novo sonho tornar.


Pinturas de Vladimir Kush